Notícias às 08:13

Galisteu no Papo de Segunda Verão: ‘2021 seja com menos solavancos’

Reprodução GNT

Nesta segunda-feira (04) o Papo de Segunda começou sua versão Verão 2021. O programa foi gravado ao ar livre, tendo as belas imagens do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. E, pela primeira vez, desde o início da pandemia, Fábio Porchat, João Vicente de Castro e Francisco Bosco puderam fazer o programa lado a lado, respeitando o distanciamento.

Emicida foi o único que permaneceu via telão, totalmente inserido no cenário ao ar livre. A atração conta também com a participação dos músicos Feyjão e Mosquito, que participam do papo e tocam música ao vivo nos términos e inícios de blocos.

O primeiro assunto foi sobre essa preocupação das pessoas de não se encontrarem mais e, quando se veem, ficam com medo de serem infectadas com o vírus. João Vicente contou como está sendo para ele essa situação.

“Essa desconfiança da pessoa íntima é muito aflitiva para mim. Todo mundo virou um possível transmissor em potencial. Encontrei minha irmã outro dia. Pra mim minha irmã é uma pessoa que traduz tudo o que existe de amor na minha vida. E eu tive receio de tocar na minha irmã. Isso foi horroroso para mim. A única coisa que minha irmã poderia fazer de mal é me passar coronavírus. É muito triste essa época que a gente está atravessando hoje em dia”, revelou.

Porchat contou perrengue com sua irmã em função dessa neurose.

“Minha irmã ficou chateada comigo outro dia, porque ela falou: ‘Vamos se encontrar?’. Eu testei e ela não testou…falei: ‘Não, não vamos nos encontrar’. Falei: ‘Você pode ter. Eu posso ter pegado ontem’. Me deu medo!”, contou.

Fábio então quis saber de Emicida o que ele mais sentiu saudade em 2020.

“Gosto de ficar com minha família, curtir meus cachorros, gosto de fazer minhas comidas, fazer meus queijos…Eu também gosto de encontrar meus amigos. Recebo bastante visita em casa e sempre faço churrasco de final de semana. E a coisa que eu mais estou com saudade é o que eu mais excomunguei ao longo da minha vida: todo churrasco tem aquela pessoa que exagera na bebida e começa a encher meu saco.  Não vejo a hora de alguém passar dos limites do meu lado de novo”, brincou.

João Vicente de Castro revela: ‘Fiz terapia dos 8 aos 32 anos’

João Vicente e Porchat

Chato

Depois o assunto foi sobre "o chato". João Vicente aproveitou para discorrer sua teoria de que toda festa, para ser boa tem que ter um chato

“Em uma festa boa tem que ter?: gente interessante, gente bonita e chato. Por quê? O chato é um anticoagulante social. Se começa a juntar um grupo de gente interessante e chega o chato ele espalha, embaralha o grupo. Senão vira aquela cozinha de festa que fica todo mundo interessante ali, na outra parte ficam as pessoas dançando e a festa não flui. Vira uma festa chata. Festa boa é aquela que a pessoa tem que correr do chato e ir para a próxima pessoa interessante. É uma gincana do Gugu que o chato é imprescindível nela”, contou.

Ano novo começando e é sempre comum ver pessoas fazendo previsão sobre o futuro. Mesmo que alguém tivesse a certeza absoluta de possuir esse dom, Emicida diz que não tem vontade de saber como será o seu.

“Se a gente tivesse uma forma crível de descobrir o futuro, nossa vida iria virar uma loucura. A gente ia começar a viver pra ele e não viver para o agora. A gente já vive de uma forma maluca tentando antever o futuro, imagina se a gente soubesse o que vai acontecer e não soubesse como?"

Fabio Porchat revela que não passa Natal com a família a um bom tempo

Emicida participa via telão

Convidada

A temporada de verão tem o quadro Verão do João, onde o ator – usando como cenário o quintal de casa, muitas boias e uma piscininha de plástico – entrevista uma personalidade. A escolhida para estreia foi Adriane Galisteu, que fez sua participação on line direto de sua banheira, pois ela disse que não tem quintal e nem piscina.

E a pergunta para ela foi saber se era supersticiosa.

“Eu não sou supersticiosa a ponto de entender dos assuntos, mas eu sou curiosa a ponto de fazer tudo o que falam pra mim que é legal de fazer. Por exemplo: eu sou ariana e leio signos todos os dias. Gosto de ler o meu, gosto de ler do Alexandre e gosto do ler do Vitório. Eu pulo 7 ondas no final do ano, eu uso branco, uso calcinha nova. Depois de 2020 eu fiquei um pouco traumatizada”, revelou.

João pediu para que a atriz fizesse uma previsão de como seria o ano de 2021.

“Vamos viver um ano mais calmo. Não calmo no sentido da nossa vida. Nossa vida foi bem tranquila de tempo, de compromisso, de festas, de aglomeração. Pelo menos eu não fui em nenhuma festa clandestina. 2021 vai ser um ano que a gente vai conseguir administrar a máscara, porque acho que tirar a máscara não vamos. Acho que a gente toma essa porra dessa vacina de uma vez por todas. Tocamos a vida com abraços e beijos. Podendo ver que a gente ama na paz e na tranquilidade.

Então que 2021 seja com menos solavancos. Não precisa desse solavanco. Não tenho mais idade para viver os solavancos!”, concluiu.

O Papo de Segunda de Verão vai ao ar, todas as segundas, às 22h15, na GNT.

Emicida relembra ano difícil em mensagem: ‘2020 é certamente o ano mais difícil da nossa geração’

Papo de Segunda Verão

Adriane Galisteu posa de biquíni amarelo e encanta