Notícias às 08:00

Grammy: Os esnobados de 2021

Reprodução/Instagram

Na última semana, a Academia de Gravação, mais conhecida como Grammy, anunciou os seus indicados para a premiação de 2021, mas em meio à festa houve ainda muita indignação e crítica. Isso se deve, majoritariamente, ao fato do cantor The Weeknd não ter sido nomeado a absolutamente nenhuma categoria.

OFuxico reuniu alguns nomes que foram totalmente esnobados pela famosa cerimônia e que geraram enorme revolta na web!

Será que rolou boicote? Disriminação? Qualidade não faltou nos trabalhos deixados de fora.

Vem com a gente!

 

Abel Makkonen Tesfaye

Artisticamente conhecido como The Weeknd, o artista de 30 anos foi a pessoa mais falada após as lista do Grammy ter sido divulgada, nos últimos dias. Dono do álbum After Hour, ele viu a faixa Blinding Lights entrar para a Billboard Hot 100, ganhar milhões de streamings no Spotify e em outras plataformas, entregou performances ao vivo bem criativas!

Porém, ao que parece, o trabalho que resgatou referências dos anos 1980 e as mesclou ao pop e R&B ficou invisível aos olhos dos integrantes da Academia de Gravação. Nem uma categoria sequer.

Chateado, o músico se manifestou publicamento no Instagram: "O Grammy permanece corrupto. Vocês devem transparência a mim, aos meus fãs e à indústria", escreveu ele. na sequência, ele cutucou: "Planejando colaborativamente uma performance por semanas para não ser convidado? Na minha opinião = A você não foi convidado!"

Japão na Inglaterra

Nascida na Ásia e criada em Londres, Rina Sawayama foi uma das incríveis surpresas de 2020. Apesar de estar na indústria desede 2013, foi com o disco SAWAYAMA que ela ganhou muitos fãs e elogios.

Ótima mescla entre pop, punk rock e dance music, o trabalho da cantora recebeu cinco estrelas da renomada revista NME. No metacritic, site baseado em críticas do público, ela teve ótimos pontos. Pela clássica Rolling Stone, o projeto levou quatro de cinco estrelas. Nada mal, né?

Com certeza deveria ter levado ao menos a indicação como Melhor Álbum Dance/Eletrônico.

A era Chromatica

Gaga adiou, no entanto, não deixou de lançar o Chromatica, aguardado álbum da eterna Mother Monster. Referido como o retorno da cantora ao pop, o projeto teve parceria com o grupo de k-pop BLACKPINK, do veterano Elton John e da queridinha da geração ex-act Ariana Grande, além de fazer falta em categorias principais.

Desta vez, ela aparece apenas em Melhor Performance Pop Duo/Grupo com o single Rain On Me feat. Ariana Grande, e a Melhor Álbum Pop.

Fiona Apple

Fiona Apple resurgiu depois de oito anos longe dos lançamentos  musicais. A cantora, de 43 anos, conseguiu o raro feito de conquistar a nota máxima (10) da Pitchfork com o disco Fetch the Bolt Cutters e era esperado concorrer como Álbum do Ano. Entretanto, ela foi nomeada a Álbum de Música Alternativa e mais duas categorias envolvendo rock. Fala sério!

FKA Twigs 

Neste ano, FKA Twigs esteve no Grammy e participou do tributo ao cantor Prince. Era esperado que ela cantasse. Só que totalmente ao contrário disso, ela apenas dançou em um pole dance. Na época, a britânica disse que cantaria se tivesse sido chamada para isso.

Então, ela poderia aparecer em 2021 novamente, mas de um jeito ainda mais interessante, como nomeada. Não aconteceu. Apesar do álbum Magdalene ter sido lançado em novembro de 2019, ela poderia, pelos critérios estabelecidos, tentar levar para casa um gramofone como Melhor Álbum Pop.

Interessante e hipnotizante, FKA é uma das artista mais inovadoras da atualidade, sem medo de experimentar, que acabou deixada de lado.