Notícias às 11:00

Hugh Grant ainda mantém contato com Renée Zellweger

Divulgação

Hugh Grant e Renée Zellweger ainda são amigos depois de terem protagonizado juntos os filmes de O Diário de Bridget Jones. O ator de 60 anos afirmou que Renee é 'uma das poucas atrizes' com quem atuou e quem ainda mantém uma amizade. 

Grant estrelou pela primeira vez ao lado da estrela de Judy em O Diário de Bridget Jones em 2001, antes de se reunirem novamente em 2004 para a sequência, Bridget Jones: The Edge of Reason. 

Ele comentou em entrevista no programa The Jess Cagle Show' da rádio SiriusXM que eles mantêm contato regularmente: "Eu amo a Renée. Uh, ela é uma das poucas atrizes com quem eu não briguei… E nós nos demos muito bem e ainda trocamos longos e-mails."

Em 2016, em uma entrevista Hugh lembrou das co-estrelas femininas com quem trabalho e que o 'detestam, desprezam e odeiam'. 

Sobre sua co-estrela de 'Nove Meses', Julianne Moore, ele disse: "Actriz brilhante, me detesta." 

Falando sobre sua colega de elenco de 'About a Boy' Rachel Weisz, ele disse: "Inteligente, bonita, me despreza." 

Hugh então afirmou que fez Drew Barrymore 'chorar' no set de 'Music and Lyrics': "A fiz chorar, me odeia.", justificou.

 Matthew McConaughey foi abusado sexualmente aos 18 anos

Matthew McConaughey rejeita proposta milionária para filme

Remake Um Lugar Chamado Notting Hill

 

Hugh Grant e Julia Roberts deixaram os fãs apaixonados por seus personagens no filme Um Lugar Chamado Notting Hill (1999), e agora o ator de 60 anos comentou sobre a possibilidade deles fazerem uma continuação da comédia romântica. 

Durante entrevista de promoção sobre sua nova mini-série da HBO, The Undoing, com Nicole Kidman, o artista britânico confessou que adoraria voltar a interpretar William Thacker no filme, um homem comum, dono de uma pequena livraria no popular bairro de Notting Hill, em Londres, que se apaixona por uma famosa atriz chamada Anna Scott. 

"Eu gostaria de fazer uma sequência de uma da minhas próprias comédias românticas que mostre o que aconteceu depois que esses filmes terminaram", disse o ator por meio do perfil da HBO no Twitter. 

"Realmente, para demonstrar a terrível mentira que todos eles eram", esclareceu. "Para mostrar que finais felizes em histórias de amor são uma mentira terrível.", diverte-se. 

"Eu gostaria de fazer isso comigo e Julia e o divórcio horrível que se seguiu com advogados caros, crianças envolvidas, lágrimas. Psicologicamente marcado para sempre. Eu adoraria fazer esse filme", ​​brincou. 

Embora Notting Hill tenha sido um grande elogio na carreira de Hugh Grant, este não foi o primeiro filme em que o ator se tornou um galã distraído que alcança o tão esperado final feliz da história. Em 1994, o vencedor do Globo de Ouro triunfou na comédia romântica "Quatro Casamentos e um Funeral" e, antes de despertar paixões em "O Diário de Bridget Jones" em 2001, deslumbrou seus admiradores no filme "Mickey Olhos Azuis". 

Um Lugar Chamado Notting Hill foi um sucesso de bilheteria em 1999, arrecadando US$ 364 milhões na época.