Notícias às 07:15

Íris Stefanelli quer ser mãe e recorda euforia ao sair do BBB7: ‘O povo saía atrás, nas ruas’

Divulgação/TV Globo

Em 09 de janeiro de 2007, entrava no ar o Big Brother Brasil 7. Até hoje, 14 anos depois, é uma das edições mais marcantes do reality. Quem assistiu, não esquece! Principalmente pela formação de um triângulo amoroso que conquistou o público e deu o que falar. Era formado pelo campeão da edição, Diego Gasques, o Alemão, a modelo Fani Pacheco e a sacoleira Irislene Stefanelli, a Siri. 

No começo do jogo, Diego Alemão ficou com Fani. Mas pouco depois, se rendeu ao jeitinho caipira de Íris. Ela, contudo, não dava brecha para o “Lemão”, claro, por ele ter ficado com a colega de confinamento. 

Em vez de criarem uma rixa, Fani e Íris viraram melhores amigas. Se no meio do caminho entre elas havia uma pedra alemã, as meninas trataram de lapidá-la. E assim nascia um triângulo amoroso. 

Até que Iris foi eliminada, justamente ao ser indicada por Alemão. Fora da casa, o romance seguiu. Mas não por muito tempo. O tempo passou, a amizade ficou, inclusive com Fani. 

Íris, Alemão e Fani no BBB7, da TV Globo

Na época, o frisson em torno do programa era impressionante. Havia carreata para a entrada dos participantes na casa e, ao serem eliminados, multidões saíam à rua para vê-los. A popularidade de Íris fez com que ela ganhasse um contrato com a Rede TV!, onde permaneceu por algum tempo como repórter especial do TV Fama. 

Dispensada da emissora, a ex-sacoleira não desanimou. Mesmo ainda muito requisitada para eventos e presenças vips, Íris arregaçou as mangas e investiu no que mais sabia fazer: vender roupas. 

Há quem diga que as cifras de Siri há tempos já superaram o prêmio do BBB7. Em entrevista à OFuxico, ela não reclama da boa vida que leva, morando no refinado bairro dos Jardins, em São Paulo.  Bem-sucedida com a Iris Stefanelli Store, sua marca de roupas, ela só tem um sonho a realizar: ser mãe. Solteira, após romper em 2019 um noivado de cinco anos, ela definiu um prazo para a maternidade.

Fani, Alemão e Siri conseguiraram parar o Brasil!

A ex-BBB7 contou esse e outros detalhes de sua vida na entrevista a seguir, confira! 

OFuxico: Poucos participantes mantêm o carinho do público, que lembra com saudade e ternura de tudo o reality e não que rolou no reality. Você é uma delas. Como explica esse sentimento?
Íris Stefanelli:
Tenho um carimbo enorme, esses dias estava assistindo o vídeo da galera me recebendo no aeroporto, no meio da rua, o carinho era diferente de hoje. O povo saía, ía atrás. Era muita gente, foi muito bom receber esse carinho. Até hoje! Voltei agora de Trancoso e tirei mais de dez fotos no aeroporto.   

OFuxico: Te incomoda ser chamada de "ex-BBB"? Por que?
Íris Stefanelli:
Nunca me incomodou! Sou e sempre fui grata a tudo na minha vida. Quem mudou a minha vida foi o Big Brother Brasil. Na minha época tinha um preconceito. Bombava muito, mas tinha um certo preconceito sim. O melhor de tudo é que o tempo mostrou que hoje de atriz famosa a blogueira famosa, todo mundo apoia o BBB, é uma luta de um monte de gente famosa querendo entrar, pedindo pro Boninho colocar. O mundo gira, hoje o BBB está mais em alta. Sempre esteve, mas hoje está mais ainda. Jamais reneguei ser ex-BBB, pelo contrário, sempre foi um orgulho pra mim.  

OFuxico: A pergunta clássica: com quem você ainda mantém contato? De quem sente saudades?
Íris Stefanelli:
As únicas pessoas que tenho contato, que converso e conversei durante esse tempo, é a Fani, a gente sempre se fala pelo Whatsapp; o Alemão, a gente foi na festa da Flavinha (Vianna), sempre encontro a Flávia em eventos em São Paulo. Só eles. Mas fiz amizade com a Ana Madeira, que foi do BBB 9. A gente sai, viaja.

Flávia Vianna e Íris Stefanelli continuam mantendo contato

OFuxico: Se houvesse outra oportunidade, participaria? Por que?
Íris Stefanelli:
Dá um medo… porque eu saí tão bem, tenho medo, sei lá, de algum stress… a gente muda, a idade muda, nosso humor muda. Nossa paciência fica mais curta, então me daria um pouco de medo de não ter paciência. Mas voltaria porque aquilo ali é maravilhoso, até me imaginei, agora, voltando para aquela casa. 

OFuxico: Como é a sua relação com a mídia, atualmente?
Íris Stefanelli:
A minha relação com a mídia sempre foi boa, adoro os fotógrafos. Eu, depois do BBB, virei repórter, então fazia eventos juntos com os repórteres e eles me adoravam. Eu sou encantada com o povo da mídia, todos sempre foram muito carinhosos comigo. 

OFuxico: Sente falta de estar na TV?
Íris Stefanelli:
Eu montei uma loja online, há cinco anos trabalho de segunda a segunda. Não tive tempo de sentir falta, até falei que não queria mais. No final do ano começou a me dar saudade, mas não poderia ter um compromisso diário mais, porque sou a cabeça da minha loja. Estava pensando até que um programa semanal seria interessante.

Íris Stefanelli durante trabalho na RedeTV!

OFuxico: Como foi driblar as adversidades e ressignificar tanta coisa na vida pessoal e profissional nos últimos tempos?
Íris Stefanelli:
Sempre fui comunicativa e antes de ficar famosa, eu era vendedora de roupas. Usei isso pra montar meu perfil no Instagram de roupas e vender minhas peças e bombou de gente comprando. Treinei funcionárias e isso foi muito bom pra mim. 

OFuxico: Falando no campo profissional, você se tornou uma empreendedora e tanto! Comenta-se que você fez mais dinheiro do que o prêmio que deixou de ganhar no BBB. Gosta de administrar seis negócios? A experiência como sacoleira é o segredo?
Íris Stefanelli:
Há cinco anos que tenho minha loja, e principalmente na pandemia ela cresceu muito. Hoje tenho seis funcionários. Quando eu saí do BBB foi muito bom, o cachê era muito alto, mas graças a Deus, com a roupa eu consigo dar o padrão de vida que eu queria para os meus pais e pra mim, além de morar em São Paulo, nos Jardins, que é uma vida que não é barata, mas eu trabalho muito pra ter isso. Aos domingos, faço vídeo de roupa, é um dia que vende muito, domingo e feriado. Então, eu estou trabalhando sempre e ao mesmo tempo eu penso: se eu quebrar o pé? Se eu ficar doente? É uma profissão que tem que saber guardar e fazer alguma coisa para sua velhice, se acontecer algum imprevisto na sua vida. Mas é uma profissão que estou amando e que me dá retorno.  

OFuxico: E a vontade de ser mãe, segue firme? Tudo em paz com os assuntos do coração?
Íris Stefanelli:
A vontade de ser mãe é gigante. Já congelei óvulos, vou congelar mais e não passa de dois anos! Se eu não encontrar o homem certo, vou ser mãe independente. Para relacionamento, sou muito independente, então eu teria que baixar muito a minha guarda pra ter um marido. Não sei se conseguiria alguém. Eu sempre arrumei pessoas ciumentas. Depois de ser independente, é difícil. Depois que você parte para um relacionamento, tem que baixar um pouco. Eu ainda não achei esse meio termo na vida    

OFuxico: Qual seria sua crítica ao panorama atual de reality show?
Íris Stefanelli:
O programa só vem melhorando, evoluindo e nos ensinando cada dia mais, distraindo e a gente aprende muito. São vários tipos de pessoas, médico, vendedora, modelo, você conhece a vida, a dificuldade, sentimento, eu amo BBB, eu amo reality show.

OFuxico: Você pretende acompanhar o BBB21? O que espera do Big dos Bigs?
Íris Stefanelli:
Demais! Não tem nem como não acompanhar! Você abre o Instagram, BBB, dá um passo, BBB, vai conversar com as pessoas, BBB! Está em tudo e estou curiosíssima pra saber quem vai entrar. Boninho não erra! A equipe de BBB é treinada e só evolui. Sou apaixonada por essa equipe toda, estive lá na edição passada, desfilando, que saudade imensa da turma! Eu amo o Big Brother Brasil e vou acompanhar sempre!