Notícias às 03:00

Jaden Smith vai abrir restaurante para ajudar sem-tetos

Reprodução/Instagram

O filho de Will Smith, o ator e cantor Jaden Smith, finalmente está tirando um sonho antigo do papel: ele vai abrir um restaurante para ajudar a alimentar os desabrigados em Los Angeles. 

O artista de 22 anos – filho também de Jada Pinkett Smith – vai abrir um  novo restaurante chamado I Love You, para ajudar aqueles que moram em Skid Row, Los Angeles, depois de gerenciar o caminhão de comida, I Love You, pelas ruas da cidade. 

Os foodtrucks de Jaden dão comida de graça aos sem-teto de Los Angeles há dois anos, mas o novo restaurante vai oferecer uma solução mais permanente para aqueles que precisam. 

De acordo com a revista Variety, o restaurante vai funcionar fazendo com que aqueles que podem, paguem um preço um pouco mais caro para 'pagar por aquele que precisa'. 

Em um depoimento, Jaden disse: "É para as pessoas sem-teto conseguirem comida de graça. Mas se você não for sem-teto, não só você tem que pagar, mas pagar mais do que a comida vale, para ajudar a alimentar aquela pessoa que está atrás de você", explicou. 

Até o momento  Jaden não revelou a data de abertura de seu novo empreendimento social. 

Família

 

Recentemente, em mais um episódio do Red Table Talk, Jada Pinkett Smith recebeu Brené Brown, especialista em educação infantil. 

Casada com Will Smith, Jada é mãe de Jaden, e Willow. Na ocasião, ela revelou que já enfrentou problemas na criação dos filhos, usando vergonha e intimidação como ferramentas. 

“Oh meu Deus. Mas eu realmente fiz isso, especialmente na criação de Willow, tentando não envergonhar seu desenvolvimento social. Sabe? Tentar criar uma menina e tudo o que ela passa, mas não reconhecer o quão prejudicial  é usar a vergonha como ferramenta”, disse ela. 

Willow afirmou que perdoa a mãe. 

“Quando eu era mais jovem, eu ficava muito abalada, da mesma forma que estou agora. Mas você me chamava a atenção quando acontecia isso", afirmou. 

Jada ainda afirmou que a cultura da intimidação passa de geração para geração. 

“Eu reconheço aqueles momentos e isso teve muito a ver comigo não ser capaz de lidar com minha própria vulnerabilidade. Apenas crescendo nesses ambientes em que crescemos… Você sabe, tudo é diferente agora", concluiu.