Notícias às 07:00

Joel Datena comemora desistência do pai na política e afirma: ‘Pessoas que espalham fakenews são criminosas’

Divulgação/Band

Um homem do campo que mora na cidade, mas sempre que pode recorre à natureza para se reencontrar com o simples. Apesar de ter uma rotina puxada por conta do trabalho, Joel Datena valoriza momentos em família tanto que aos finais de semana desliga até o celular, não é apegado ao luxo e não se importa com comentários maldosos sobre sua vida. Por conta do isolamento passou a jogar vídeo game com o filho, a fazer exercícios ao ar livre e a aproveitar cada momento de sua casa. Durante a semana sua rotina envolve dormir cedo, madrugar, ler e estudar muito para apresentar o Bora SP e o Bora Brasil na Band e na Rádio Bandeirantes, a partir das 6h da manhã.

Ao OFuxico, Joel conta um pouco de sua vida pessoal e trabalho. Ciente do seu papel como âncora de telejornais, ao lado de Maiara Bastianello e Thais Dias, defende o jornalismo sério e afirma que pessoas que espalham notícias falsas são criminosas e colocam em risco a vida de milhares de outras como ao negarem a eficácia de vacinas que já salvaram milhões de pessoas pelo mundo. Na entrevista, Joel celebra a desistência do pai na política – Datena era cotado para prefeitura de SP – que para ele não tem dom para a política, mas sim para a comunicação, para a defesa do povo.

Confira!

OFuxico: Além do Bora SP e Bora Brasil você também está na Rádio Bandeirantes. Como é a sua rotina, que horas acorda e como se prepara para apresentar os jornais? 
Joel Datena:
Faço o Bora SP das 6h até 7h30, em seguida o Bora Brasil das 7h30 até 9h. Depois faço o Bora Brasil na Rádio Bandeirantes das 13h até 15h. Minha rotina é levantar as informações para apresentar bem os programas. Eu durmo muito cedo, por volta de 20h30. Lá em casa todo mundo segue minha rotina. Levanto antes das 4h da manhã, no caminho para TV vou ouvindo podcasts, já na TV reservo uma hora para ler as principais notícias do dia, umas 5h40 faço a maquiagem. 6h estou pronto. Acabou os jornais, eu tomo meu café com omelete todos os dias, lá para às 10h faço exercícios na academia. Umas 11h já estou vendo o que é notícia e iniciar os preparativos para rádio.  Em casa, durante a semana, reservo um tempo pra ver TV, séries, filmes pra relaxar um pouco. Minha rotina é bastante intensa, na sexta-feira estou bem caidinho, então, tenho que descansar bem no final de semana.

OFuxico: Quais as diferenças entre apresentar jornal na TV e na rádio?
Joel Datena
: Na TV você precisa ser mais rápido, sucinto, dando mais ênfase para alguns assuntos, porque muitas pessoas estão acompanhando para saírem de casa bem informadas para o trabalho.  E na TV temos que nos preocupar com a imagem. São veículos diferentes, mas que se comunicam muito bem. Na rádio eu tenho uma tranquilidade maior para lidar com as notícias dando mais profundidade aos assuntos, convidando mais pessoas para falar. No rádio a conversa flui mais, a interação com o ouvinte é maior. Acho que falta simplicidade na comunicação. Falar de um jeito tranquilo, simples. É um privilégio. Me sinto muito feliz e honrado por estar no rádio e na TV e no Grupo Bandeirantes.

OFuxico: O público te aborda nas ruas e redes sugerindo matérias, principalmente quando envolvem problemas na saúde, transporte?
Joel Datena:
Com bastante frequência. Sempre pra falar sobre algum assunto, mas a principal reclamação é sobre política, com toda certeza, para cobrar mais. Pedem também para gravar vídeos para a família, é a parte mais gostosa da nossa profissão, sem isso é porque nosso trabalho não está muito legal não. Eu gosto de atender todas as pessoas da melhor forma possível.

OFuxico: Qual é o papel do jornalismo hoje?
Joel Datena:
É imprensar a quem tiver que imprensar. Fazer com que os representantes do povo sejam coerentes para a população. Mostrando os problemas da sociedade apontando soluções para que não se repitam lá na frente ou que pelo menos diminuam. Ao mostrar uma notícia sobre homicídio queremos mostrar que isso tem que ser combatido. Ao mostrar uma ação do corpo de bombeiros, não é mostrar vítimas, é pra chamar a atenção para melhores salários desses profissionais, estrutura técnica. O jornalismo não pode ter lado além da verdade para que a população tenha uma vida digna. Informação séria é produzida por veículos sérios. Fakenews, que tanto prejudica a sociedade, é combatida com jornalismo sério. Pessoas que espalham notícias falsas são criminosas.

OFuxico: Fora da TV você fala com seu pai sobre trabalho?
Joel Datena: 
Eu e meu pai nos falamos diariamente. Sobre trabalho muito pouco. É mais uma relação familiar, pai e filho, filho e pai, neto, mãe. É melhor ter uma relação de família do que levar coisas do trabalho pra casa.

 
Publicação de Joel Datena com a família
 
 
 

OFuxico: Ele seguiu os seus conselhos e desistiu de se candidatar à prefeitura de SP… Sentiu um alívio? 
Joel Datena:
 Não sei se foi o meu conselho que o fez desistir da política. Eu acredito que não. Ele é um homem de opinião forte. Se ele tivesse vontade, ele teria seguido sem ser influenciado por ninguém. Fiquei muito feliz por ele ter desistido. Não queria isso pro meu pai de jeito nenhum. A política é muito importante pra gente, mas nós não fomos feitos pra ela. Quando eu digo nós, eu falo em meu nome, do meu pai, das pessoas que eu amo. Deixo para outras pessoas fazerem política. Cada um tem um dom. O dom do meu pai é a comunicação. O dom dele todo mundo conhece muito bem.

OFuxico: Dicas de livros, filmes e séries
Joel Datena: 
Algumas coisas me atraem muito. Gostei muito de A Cabana, foi o último livro que eu li. Uma história comovente que te prende, não traz muita tristeza, traz um certo conforto. Recomendo com toda certeza. Certamente Peaky Blinders, Netflix, uma série inglesa fenomenal  Uma família mafiosa do início do século passado. O que achei encantador, além da fotografia, gosto de ver cenários diferentes, e aqui ele é muito bem produzido. A história se confunde com os dias atuais, uma família que ganhava dinheiro de forma ilegal e com o passar do tempo teve que colocar o dinheiro de forma licita na sociedade. O elenco, fotografia  dispensam apresentações. É uma série bem contemporânea.

OFuxico: Durante a pandemia/isolamento o que você passou a fazer, uma atividade que aprendeu?
Joel Datena: A pandemia ensinou muita coisa pra gente. Voltei a jogar videogame com meu filho, coisa que eu não fazia há muito tempo. Também passei a fazer exercícios ao ar livre. Cumpri o isolamento quando tive que cumprir. Hoje, dentro do possível, eu saio, vejo amigos seguindo todas as normas com uso de máscara, álcool em gel e distanciamento.