Notícias às 08:00

Kim Kardashian se reúne com homem no corredor da morte

Reprodução/Instagram

Nesta semana, Kim Kardashian conseguiu se reunir com Julius Jones e sua família, um afro-americano que está no corredor da morte desde 2002 quando foi condenado à pena de morte em Oklahoma pelo assassinato de um homem branco de 45 anos em 1999. Julius teve, supostamente, um julgamento racista e foi condenado mesmo sem ter provas contra ele. Ele garante sua inocência, porque na hora do crime, estava com sua mãe.

Kim está determinada a encontrar justiça para Jones e se emocionou ao conversar com ele.

Ela compartilhou no Instagram uma foto de seu encontro, e escreveu: "Tive a honra de sentar-me com Julius Jones, que está no corredor da morte em Oklahoma, na semana passada e depois passar algum tempo na igreja com sua família. Julius está encarcerado há mais de 21 anos por um crime que não cometeu. Os efeitos que isso teve em sua família são realmente inimagináveis ​​e rezo para que o conselho da condicional recomende sua comutação, porque esse homem precisa ser capaz de abraçar seus pais novamente. #JusticeForJulius." 

"A última vez que os pais de Julius o abraçaram foi quando ele tinha 19 anos. Isso foi há 21 anos atrás. A mãe de Julius Jones @madelinejones48 deve poder abraçar seu filho. Ela é tão forte e sua fé e força são tão inspiradoras. Não vamos desistir da luta para libertar Julius Jones! Julius desatou a chorar ao falar de sua irmã Antoinette @sassysoulinc, ele tinha prometido que a levaria ao baile e por causa de uma condenação injusta não pôde levá-la! Precisamos tirá-lo de lá e planejar o melhor baile de todos os tempos!!!", disse Kim. 

"Sou muito grata com os que lutam pela liberdade, que mais apoiaram Julius Jones. Não vamos parar até obtermos justiça.", avisou.

 Kim Kardashian quer salvar homem do corredor da morte

Kim Kardashian parabeniza cunhado por contrato milionário
Khloe Kardashian recebe flores do ex

Publicação de Kim Kardashian na web

Para ver a postagem original, clique aqui

 

Abraçando a causa

 

Kim Kardashian continua seus estudos para se tornar advogada e principalmente continua ajudando àqueles que foram condenados injustamente por crimes que não cometeram, como o caso de Julius Jones, um afro-americano que está no corredor da morte desde 2002 quando foi condenado à pena de morte em Oklahoma pelo assassinato de um homem branco de 45 anos em 1999. 

Detalhe: Julius estava em casa com sua mãe, distante do lugar onde aconteceu o crime, e mesmo sem prova alguma de que ele foi o responsável, o homem foi condenado por homicídio de primeiro grau. 

Segundo o site TMZ, Kim conheceu a história de Julius depois de ver o documentário de Viola Davis sobre ele, The Last Defense. 

Fontes disseram à publicação que Kim passou um tempo com Jones e seu advogado, Dale Baich, esta semana e fez promessas de ajudar sua equipe jurídica com o caso, antes de se encontrar com sua família em uma igreja local. 

A mãe de Julius supostamente ficou muito emocionada ao falar com Kim, dizendo que seu filho estava em casa com ela na noite do assassinato. 

Kim Kardashian se tornou ativista da reforma penitenciária, e tem estudado direito como parte de seus esforços para libertar aqueles que estão no corredor da morte ou enfrentam a vida na prisão devido a condenações injustas. 

Jones entrou com pedido de clemência no ano passado e os membros do The Oklahoma Pardon e do Conselho de Liberdade Condicional farão uma recomendação ao governador Kevin Stitt se ele deve comutar ou reduzir sua sentença. 

Os ativistas alegaram que a condenação de Julius foi feita racialmente, pois havia poucas evidências que o ligassem à cena do crime e que ele foi prejudicado por uma defesa legal deficiente. Ainda não tem uma data de execução programada.