Notícias às 18:00

Linn da Quebrada critica fala transfóbica dita por Pedro Bial

TV Globo/Mauricio Fidalgo e Divulgação/Montagem

Recentemente, Pedro Bial entrevistou Ronaldo Fenômeno para o “Conversa com Bial”, da TV Globo, quando relembrou a ocasião em que o ex-jogador de futebol teria se envolvido com algumas travestis.

“Anos depois, você quer falar, me explicar o que aconteceu na história com os três travestis?”, disse o apresentador, se referindo às travestis com pronome masculino ao invés do feminino.

Por meio de seu perfil oficial no Twitter, Linn da Quebrada se pronunciou sobre o assunto, criticando o teor da fala de Bial sobre o assunto e a referência às mulheres com o pronome masculino.

“É um absurdo, mesmo depois de ter entrevistado a mim e ter acesso a tanta informação, ainda assim, o Bial se permitir erros tão irresponsáveis e cruéis com nossos corpos”, disse a cantora, lembrando da entrevista que participou para o mesmo programa ano passado.

“Uma transfobia que corrobora com todo processo de marginalização ligado às nossas identidades. Inadmissível”.

Ronaldo Fenômeno pagou R$ 80 mil em pedra para ajudar João de Deus

No mesmo episódio de “Conversa Com Bial” na noite de sexta-feira (21), Ronaldo Fenômeno falou sobre sua carreira iniciada na adolescência e que chegou ao fim  nos gramados há uma década.

Atualmente ele é dono do time espanhol Valladoilid, da cidade homônima, e chamou a atenção ao falar sobre outro assunto, sobre o qual nos foi hábil o suficiente para driblar as artimanhas…

Ronaldo, que se aposentou por conta dos sérios problemas que teve nos joelhos, contou que por vezes visitou o município de Abadiânia, em Goiás, onde ficam as obras de João de Deus.

Movido pela curiosidade, aceitou o convite do próprio João e organizou uma turma para conhecê-lo, na esperança de ficar curado.

"Fiquei impressionado, mas depois de ver o que ele realmente era, aquilo me assustou", confessou.

O ex-jogador detalhou que certa vez o médium comentou que sofrera um assalto e desabafou, dizendo que quando não era uma “entidade espiritual”, era uma pessoa normal, um garimpeiro, e precisava de dinheiro.

"A gente decidiu ajudar comprando algumas pedras. Decidi comprar uma no preço de 80 mil reais. Depois dessa história toda que veio à luz, e parece que acontecia há muito tempo, eu também me senti violado, levei uma 'facada'", lamentou.