Notícias às 11:29

Mais um! Zé Felipe e Virgínia vão comer a placenta de Maria Alice

Reprodução/Instagram

Depois que Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert apareceram no canal GNT comendo a placenta da filha, Maria Alice, o assunto – que sempre vira polêmica – voltou a bombar na web. E, prestes a ter a primeira filha nos braços, o cantor sertanejo Zé Felipe está preocupadíssimo com isso. É que sua mulher, Virgínia Fonseca, quer fazer o mesmo que o casal Lima e Hilbert.

Em seus stories no Instagram, o filho de Leonardo demonstrou que está meio assim…

“Minha cabeça está a mil com esse trem de comer placenta”, escreveu.

Em uma sequência de vídeos o cantor indaga a influenciadora digital se ela conhece quem já tenha feito o mesmo.

“Cachorro que come placenta”, disse ele.

“Normal, pessoa normal mesmo”, rebateu Virgínia.

“Você conhece alguém que come isso?”, insistiu ele.

“De famosos? Falaram a Fernanda Lima. Ela e o Rodrigo Hilbert”, respondeu a mulher.

“Então tá…”, finalizou o cantor.

Zé felipe fala de comer a placenta, quando bebê nascer

A imagem está no Instagram @zefelipecantor

Elas já comeram…

Embora polêmica, a prática de comera a placenta do bebê logo após o parto já foi adotada por outras famosas. Mayra Cardi é uma defensora.

“Todos os animais, sem exceção, comem a placenta. Só nós que não. Porque ali tem vários nutrientes que as grávidas perdem durante o parto, que elas precisam repor”, disse ela logo depois que deu à luz a Sophia, sua filha com Arthur Aguiar.

Em seu Instagram, a life coach revelou ter ingerido a placenta por meio de cápsulas e disse que gostou.

“Eu gostei, não tem gosto de nada. Mal não faz. Se todos os animais comem, é porque tem proveito, mesmo. Dizem que ela ajuda muito na depressão pós-parto, ou seja, não deixa a mulher ter depressão”, disse Mayra.

“Enfim, você pode comer a placenta do jeito que quiser, como os animais comem, ou pode mandar encapsular. Eu não comi, né minha gente, para mim é difícil comer uma placenta. Não sou tão evoluída assim. E também não como carne. Mas mandei fazer em cápsula e estou tomando”, afirmou.

Bela Gil contou que decidiu comer placenta após ouvir os relatos de que ajuda na depressão pós-parto e na regulação hormonal da mulher. Bela comparou a consistência à de um bife de fígado.

“Não tem nenhum estudo científico, nada que fale que comer a placenta é maravilhoso, mas é um ritual que eu queria fazer. Muita gente que tem parto domiciliar faz. Quem tem casa geralmente enterra e planta-se uma árvore no local. Se você perguntar para a sua avó, ela vai dizer que ou enterrou ou comeu”, disse ela em entrevista a Fábio Porchat.

Kim Kardashian não só comeu a placenta como também compartilhou algumas fotos do “alimento” em suas redes sociais.

“Vou ficar triste quando minhas cápsulas acabarem. Elas mudaram minha vida”, escreveu ela.

Sem comprovação científica

Embora seja bastante comum, a placentofagia não tem aval da ciência. Alguns estudos mostrem que essa prática é benéfica por ajudar o útero a voltar ao tamanho normal mais rapidamente, combater a depressão pós-parto e otimizar a produção de leite materno.

Uma reportagem da BBC News mostrou que um levantamento feito por pesquisadoras americanas concluiu que não há benefícios na prática. O estudo, feito na Faculdade de Medicina de Northwestern, em Chicago, analisou dez pesquisas sobre o tema publicadas recentemente e disse não ter encontrado evidências de que o consumo de placenta ofereça proteção contra depressão pós-parto, ou que reduza dores, dê mais energia, ajude na amamentação, promova a elasticidade da pele, auxilie no vínculo entre mãe e bebê nem tampouco seja fonte de ferro para a mãe, como muitos acreditavam.

Na mesma reportagem, o Royal College of Midwives, associação britânica que reúne as parteiras do país, defendeu que ingeri-la ou não deve ser uma decisão da mulher.