Notícias às 11:50

Malga di Paula fala pela primeira vez após morte de Chico Anysio

Reprodução

Malga di Paula lutou até onde pode para que Chico Anysio conseguisse sair do hospital são, mas os esforços se esvaíram quando o humorista faleceu no último dia 23 de março. Desde então, a viúva postou apenas uma pequena mensagem em seu Twitter e que foi reproduzida pela imprensa, mas na noite deste sábado (14), ela abriu seu coração e falou sobre tudo o que sentiu através de seu Facebook.

No texto, ela relatou sobre as inúmeras manifestações de carinho que recebeu durante o momento difícil de sua vida, através dos mais variados meios de comunicação, e afirmou que não tem palavras para agradecer a todos.

“Jamais terei palavras para agradecer, mesmo que eu aprendesse a dizer ‘OBRIGADA’, em todos os idiomas falados no planeta ou no mundo celestial. Chegam, às dezenas, mensagens de pessoas preocupadas com meu bem-estar. Desculpem o meu silêncio. Me permiti durante este tempo, permanecer na intimidade do meu lar com os amigos mais próximos e a família, velando as cinzas de meu marido.”

Ela ainda contou que o velório de Chico, para ela, durou 20 dias e que este foi um momento longo, doloroso e profundamente reflexivo. Malga ainda salientou que não perdeu apenas o homem que amava, mas uma pessoa muito amada por todos.

+ SAIBA TUDO SOBRE A MORTE DE CHICO ANYSIO

“Posso sentir isso em todos os abraços, palavras, gestos ou apenas olhares de pesar. Ao voltar do Ceará para minha casa, senti um duro golpe de realidade… A cadeira vazia no escritório, o computador desligado, as correspondências fechadas, enfim… O silêncio que eu tanto temia. Não tenho uma opinião formada sobre a pós-morte. Respeito crenças religiosas e filosóficas de todos, mas penso que ninguém é o dono da verdade. Acredito apenas que a resposta para cada um, seja uma profunda questão de fé e que a fé é o verdadeiro conforto da alma.”

Malga disse que sua fé inabalável na cura de Chico se esvaiu no momento de sua morte, mas foi substituída por uma fé ainda maior na certeza de que sua continuidade já é absolutamente gloriosa.

“Choro muito, mas agora, consegui me concentrar e escrever esta pequena nota para lhes dizer que apesar da profunda dor que sinto, sei que ficarei bem, porque a presença do  Chico no meu coração é a grande razão para eu continuar vivendo. Prometi que eu faria por ele tudo o que eu pudesse e fiz o melhor que pude. A partir de agora, meu compromisso é com a memória do Chico e a realização de projetos que tínhamos para fazermos juntos, pois, tenho certeza absoluta de que ele jamais me deixará sozinha.”

Ao final, ela agradeceu aos brasileiros pela força que deram a ela, aos seus protetores São Jorge e São Francisco, Jesus, Nossa Senhora e à família.