Notícias às 12:00

Mariana Xavier emociona ao falar de Paulo Gustavo

Reprodução/Instagram

Não dá para negar, ainda é difícil de acreditar na morte de Paulo Gustavo, que morreu aos 42 anos vítima de Covid-19.

Mariana Xavier interpretou Marcelina, a filha de Dona Hermínia, na trilogia Minha Mãe É Uma Peça e fez um post emocionante em sua conta no Instagram.

"Dia desses ouvi de um grande amigo que quando a gente perde uma pessoa, a gente não perde só uma pessoa importante para a gente, a gente perde também o olhar dessa pessoa sobre a gente e que é isso também que a gente chora. Essa perda de um reconhecimento, de uma vibração, de uma torcida. Acho que ele desvendou a razão principal da minha dor, mesmo com todo o entendimento e consolo que a doutrina espírita me traz", começou ela.

Em seguida, a atriz relembrou que Paulo Gustavo apostou no seu trabalho.

"Foi o olhar generoso e visionário do Paulo Gustavo para mim e para o meu trabalho que mudou o rumo da minha carreira, mudou minha vida! Ele apostou no meu talento e confiou a mim a bênção e a responsabilidade de fazer a Marcelina, essa personagem que já era tão querida na imaginação de milhares de fãs dele e esses milhares, com o passar do tempo, viraram milhões. Eu me lembro dele no início de 2013, antes de o primeiro filme chegar às telas do cinema, me surpreendendo com áudios empolgados no meio da madrugada: 'Amooooor, estou aqui na edição! Estou passando só para dizer que você está f***! Está hilária, está emocionante! Você vai amar! Está ligada que sua vida vai mudar depois desse filme, né? Se prepara'. Eu já vinha de uma longa jornada artística, mas sem dúvida foi Minha Mãe É Uma Peça que me projetou para o Brasil. Existe Mariana Xavier antes de Paulo Gustavo e depois de Paulo Gustavo".

A artista afirmou que, de alguma forma, Paulo sabia que seu tempo era curto.

"Nesses anos todos nós dois nunca criamos o hábito de nos falarmos com frequência, nunca frequentamos a casa um do outro, mas quando a gente se juntava, física ou virtualmente, a troca era de uma magia, de uma sintonia, de uma potência impossível de explicar! Eu sei que olhando sob a perspectiva humana, materialista, ver partir alguém tão incrível, aos 42 anos, de uma doença para a qual já existe vacina e que levou mais de 420 mil brasileiros, dá muita raiva! Mas me consola pensar que se tem uma pessoa que não desperdiçou um minuto nesse planeta, foi ele!  A sensação que eu tenho é de que aquela hiperatividade, aquela energia ligada em 220 V, era pressa de viver, como se de alguma forma ele soubesse que não ia ter tanto tempo aqui. Sabiamente Paulo Gustavo não economizou nada".

Mariana Xavier fez questão de lembrar todos os sucessos da vida do ator.

"Não economizou ideias, projetos, sonhos, amigos, afeto, não economizou dinheiro, nem com ele mesmo nem com um monte de causas nobres que ele ajudou sem alarde, como deve ser a verdadeira caridade. Não economizou brilho, nem no sentido literal nem no figurado. Não economizou amor! Viveu com absoluto orgulho de ser quem era, sem se diminuir ou se anular para caber em padrão nenhum. Alcançou um sucesso inquestionável, construiu a família que queria com seu marido e filhos, homenageou seus amores para o mundo inteiro ver, mostrando que, como a dele, famílias homoafetivas existem e merecem ser respeitadas! Fez muita diferença na vida de todos que cruzaram seu caminho, e na de vocês, que, mesmo de longe, através da obra dele, podiam e continuarão podendo esquecer por alguns momentos as agruras da vida e rir, que, como ele mesmo disse, é um ato de resistência".

E continuou.

"Por mais que a gente esteja sofrendo, porque ele fazia da Terra um lugar melhor e se nós fôssemos evoluídos o suficiente para sublimar a morte física tão rapidamente não estaríamos encarnados aqui, tenho dentro de mim a certeza reconfortante de que o Paulo não partiu com aquela sensação frustrante de ter deixado algo importante para amanhã, ele sabe que a passagem dele por aqui não foi em vão. Eu estou me permitindo atravessar pelos altos e baixos, chorando tudo que tenho para chorar, entendendo que só o tempo vai dissipar essa tristeza. Hoje dirigindo para casa da minha mãe, enquanto eu soluçava ao volante, percebi um motoboy circulando e depois acompanhando meu carro. Ele sorriu para mim, disse 'não fica triste, não', fez um coração com as mãos e terminou com 'eu sou seu fã! Você é f***'. Eu chorei mais ainda, mas de gratidão por fazer parte dessa história! Ei, moço da moto, obrigada! Talvez você não faça ideia do bem que me fez! Com Dona Hermínia, o Paulo se tornou a mãe mais famosa, a mãe mais querida do Brasil e eu sou herdeira desse amor".

Para concluir, Mariana Xavier que precisa ter forças para seguir em frente.

"Durante muito tempo, talvez para sempre, as pessoas vão olhar para mim e lembrar do Paulo e se por um lado a dor para mim está sendo dobrada, eu sei que o carinho transmitido dos fãs deles para mim também vem em dobro e me impulsiona a seguir adiante. A melhor forma de homenagear gente cheia de vida é continuar vivendo".

Thales Bretas homenageia Paulo Gustavo no Dia das Mães

 

Na madrugada deste domingo (9) Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, que morreu por conta da Covid-19, homenageou o marido neste Dia das Mães nas redes sociais.

"A mãe mais amada do Brasil! Amamentando seu filho no trabalho. Típico retrato brasileiro. Te amo, Hermínia e Paulo Gustavo", escreveu Thales nos stories.

A homenagem também se estendeu ao feed, onde ele voltou a se declarar ao amado.

"As duas maiores mães da minha vida! A primeira é a maior do Brasil. Mas representou para mim um pai tão atencioso, carinhoso e dedicado. Na fofo ele amamentava Gael enquanto no set de filmagem! Te amo Paulo Gustavo", afirmou o dermatologista.