Notícias às 14:43

Monica Martelli comemora Dia do Cinema Nacional e relembra Paulo Gustavo

monica-martelli-e-paulo-gustavo-filme-os-homens-são-de-marte

Reprodução/Instagram

Neste sábado, 19 de junho, é comemorado o Dia Do Cinema Nacional. Artista e roteirista de várias produções nacionais, Mônica Martelli não deixou a data passar em branco e ainda relembrou a amizade de uma pessoa mais que especial: Paulo Gustavo, que morreu em abril por complicações da Covid-19.

No Instagram, a atriz compartilhou um trecho do filme “Os Homens São de Marte…E é pra lá que eu vou” e adaptou a frase do humorista para homenagear o cinema brasileiro

“Fazer cinema é um ato de resistência. #DiaDoCinemaNacional. Que saudade de você, meu amor”, escreveu ela na legenda do post.Nos comentários, amigos e seguidores se emocionaram ao relembrarem dos amigos em cena. “Memorável. Que Saudade”, escreveu uma. “Que saudade dele, meu Deus”, comentou outro. “Parece que ele saiu de férias, e logo volta”, confessou mais um.

Mônica Martelli lamenta um mês da morte de Paulo Gustavo: ‘Ainda me dói’

Recentemente, fez um mês que Paulo Gustavo partiu deste mundo e se tornou mais um entre os quase 500 mil mortos pela Covid-19. No Instagram, Mônica Martelli relembrou um vídeo ao lado do amigo e lamentou a saudade do humorista, que era tão querido para os brasileiros.

“Inacreditável talvez seja a palavra que resume bem o que foi esse mês. Um mês sem meu amigo. É inacreditável que o Paulo Gustavo tenha partido, que já faça tanto tempo e que a gente ainda não está nem perto de entender o que é a vida sem ele.

Paulo está presente em tudo do meu dia, como sempre foi em vida. Eu penso no que ele falaria, no que ele faria sobre qualquer situação. Mas o que antes era motivo de gargalhadas, agora traz dor. A dor de só imaginar o que ele poderia estar fazendo naquele momento. A dor dessa oportunidade da vida, da família, do afeto, que lhe foi tirado”, começou ela.

“Ainda me dói, Paulo Gustavo. Suas lembranças são um misto de alegria e dor. Está sendo assim há um mês. Eu não quero me sentir dessa forma porque você nunca foi dor. Esse é o maior ensinamento que você nos deixou. Cada dia é único, cada oportunidade é única e cada pessoa é única. Por isso você amava sua família, amigos e público com tanta fervorosidade, porque entendia muito do que era estar vivo. Vou te amar pra sempre, meu amor”, finalizou.