Notícias às 18:15

Novo sumiço de Tiago Iorc dura quase um ano

Reprodução/Instagram

Depois de quase dois anos sumido, Tiago Iorc retornou, assim, de repente, com um álbum novo em folha, o "Reconstrução", em maio de 2019. Ele, então, saiu em turnê, apresentando o novo projeto, em parceria com a MTV, juntando o disco e o famoso projeto "Acústico MTV", que lá fora se chama "MTV Unplugged". 

Foram alguns meses rodando o Brasil, versão de "Tangerina" com Duda Beat, namoro assumido no tapete vermelho do "Grammy Latino", música fresquinha em live durante a pandemia… Houve ainda uma parceria com uma marca de roupas mineira para arrecar fundos em prol das pessoas em situação vulnerável. Toda a renda da coleção foi revertida para a produção de máscaras.

Mas tudo mudou depois que, em uma transmissão ao vivo, a dupla Anavitória acusou o cantor, de quem eram próximas, por não autorizar a regravação de "Trevo (Tu)", single que as deixaram famososas e conta com a coautoria de Iorc. Ele as descobriu por meio de um cover de uma música dele e decidu investir nas meninas de Tocantins.

Durante a live, Ana Caetano contou o fato visivelmente abalada, o que desagradou o público, que foi reclamar nas redes sociais e, inclusive, subiu hashtags no Twitter aos tópicos mais comentados da plataforma, criticando o posicionamento de Tiago Iorc.

"A música que a gente vai cantar agora é uma música muito especial na nossa carreira, muito forte no meu coração. Eu escrevi ela em 2015 e convidei um amigo para escrever comigo. Esse amigo escreveu, me deu um refrão lindo, que a gente ama muito e vocês conhecem bem. Essa música chegou para vocês de um jeito muito massa. Foi um momento muito lindo na nossa carreira e muito poderoso também, porque abriu muitas portas e foi muito especial. Enfim, essa semana a gente recebeu uma notícia um pouco estranha e um pouco triste também, que esse outro autor da música está impedindo a gente de regravar a nossa música – a gente tem um projeto para lançar e essa pessoa impediu a gente de regravar essa música. E eu só queria falar que o meu entendimento de arte é muito para as pessoas. A partir do momento que passa por mim e vai para o mundo, ela não é mais minha, ela é do mundo. E me dói muito isso acontecer. (…) Enfim, eu espero que essa música nunca seja interrompida, os caminhos dela nunca sejam interrompidos. E espero que essa pessoa receba essa mensagem, porque é com todo meu coração, com todo meu amor", disse ela na ocasião.

O cantor, por sua vez, em vídeo, teria dito, entre outras coisas, que o caso envolvia direitos autorais, que já estava sendo resolvido legalmente e que a culpa de tudo era do escritório de Anavitória, com o qual ele já havia trabalhado e que estaria agindo de má fé para prejudicá-lo.

Foi aí que o empresário das meninas, Felipe Simas (ex-amigo e ex-aempresário de Tiago), entrou no meio do embate e também deu sua versão de todo o desentendimento. No Twitter, ele detonou o ex-empresariado mais uma vez e ainda disse que era grave a acusação de que ele estava sabotando sua carreira, devendo isso ser tratado na justiça.

Simas afirmou que o cantor estava censurando a música e que achava curioso ele ter dito que queria deixar o assunto privado, já que se recusava a falar com Ana e Vitória havia mais de dois anos. 

Em julho de 2020, Iorc participou do "Conversa com Bial" e falou do assunto, garantindo que “as músicas já foram liberadas e o processo que estava truncado está se caminhando pra uma resolução". Mas depois disso, ele desapareceu sem deixar rastros mais uma vez. A última postagem feita por TIago, no Instagram, é doa dia 13 de julho, convidando os seguidores para o talk show de Pedro Bial.

Será que o artista retorna em breve?