Notícias às 16:30

O que podemos aprender com a série documental de Demi Lovato

Reprodução/Fotomontagem

  • Novo projeto relata passagem dramáticas como quando foi amarrada a um ventilador para manter a respiração, pois sofreu de falência de múltiplos órgãos, um ataque cardíaco e vários derrames devido à overdose.
     
  • Cenas mostram Lovato enviando mensagens de texto para seu traficante de drogas, por quem ela seria estuprada durante uma overdose de uma combinação mortal de heroína e fentanil.
     
  • Hoje ela se diz em paz com sua sobriedade e até se permite o uso moderado de álcool e maconha.

Demi Lovato sempre compartilhou sua vida com os fãs e essa transparência é responsável por inúmero sucessos, milhões de discos vendidos e uma legião de fãs pelos quatro cantos do mundo. Mas havia algo de errado no mundo da estrela e em vários momentos ela expos isso publicamente.

A docu-série Dancing With the Devil, em tradução literal Dançando com o Diabo, chegou as telas do Youtube como uma atitude corajosa de uma estrela disposta a revelar momentos dramáticos enfrentados na luta contra o vício, além de testemunhos de como tudo isso afetou as pessoas ao seu redor.

Em 2018 um dos assuntos mais discutidos pela mídia nos Estados Unidos e do mundo era a overdose de Demi Lovato. Hoje com 28 anos, ela enfrentou a dependência  em drogas e álcool desde a adolescência, além de lidar com distúrbios alimentares, casos de estupro e buyling. Toda essa história agora é contada em Demi Lovato: Dancing with the Devil, em tradução literal dançando com o diabo, produção do YouTube Originals.

Em quatro episódios Lovato conversa com o público sobre momentos dramáticos enfrentados por ela em toda a sua trajetória, problemas estes que culminaram em uma experiência de quase morte decorrente de seu comportamento autodestrutivo que foge completamente do seu controle.

Do céu ao inferno

A série mostra corajosamente as vulnerabilidades de alguém que enfrenta a dualidade  de uma carreira de sucesso como cantora, compositora e atriz, em contraponto com uma vida pessoal desequilibrada e cheia de conflitos. Desta vez Demi aparece diante das câmeras relatando como a fama lhe foi extremamente cruel.

Dancing with the Devil começou a ser rodado após uma recaída enfrentada por Demi enquanto trabalhava em um outro documentário que acabou cancelado após a protagonista sofrer outra overdose. Em seus relatos ela assume que a superação que pregava não passava de uma farsa. O vício e a instabilidade emocional não estavam  sob controle, ao contrário estavam ainda mais latentes.

Além de uma overdose, que ela acredita ser fruto de uma combinação de heroína e oxicodona com fentanil, Lovato também sofreu três derrames, falência de múltiplos órgãos, lesão cerebral, pneumonia por asfixia e um ataque cardíaco. Tudo decorrente de seu consumo de drogas em uma noite.

Quando acordou no hospital havia perdido a visão e não conseguia reconhecer sua própria irmã ao lado da cama. Até hoje sua visão ainda está prejudicada ao ponto de ela não poder mais dirigir.

“Eu não conseguia ver quem era [minha irmã], embora ela estivesse ao meu lado”, disse Lovato. Eu fiquei tipo, 'Quem, quem é você? E ela começou chorar imaginando que eu não mais seria capaz de ver”, revela.

“Ela falou também sobre distúrbios alimentares: Nunca encontrei recuperação total em meu distúrbio alimentar até que encontrei equilíbrio em minha alimentação, em meus exercícios. Eu sei que isso vai me afetar pelo resto da minha vida, mas é administrável. Essa voz ficou tão baixa que não governa mais minha vida, e não me sinto mais em uma prisão. ”

Demi Lovato não se envergonha, nem fica constrangida ao expor sua história com as drogas, álcool, distúrbios alimentares e a rede de mentiras que isso tudo desencadeou, mas fica evidente seu desconforto de se "autodesmascarar" para o mundo. As cenas que descrevem todos os acontecimentos que antecederam a overdose são as mais intensas, principalmente por contar com depoimentos das pessoas que a ajudaram ao encontrá-la  desacordada. Dancing with the Devil nos mostra que a overdose foi muito mais grave do que imaginávamos e que sua vida foi salva por questão de minutos, pois seu vício envolvia drogas extremamente pesadas como a heroína e o crack.

BBB21: Fiuk diz que levou cantada de Demi Lovato
Mãe de Demi Lovato mandou mensagem esperançosa um mês antes da overdose

Diagnostico equivocado

Quando questionada sobre sua jornada de saúde mental Demi revelou que foi diagnosticada erroneamente com transtorno bipolar, aos 18 anos. Hoje ela realiza um importante trabalho em prol da comunidade bipolar.

“Achei que o diagnóstico de bipolaridade colocava um raciocínio por trás de minhas ações, mas não busquei uma segunda opinião. Eu estava agindo mal quando tinha 18 anos por muitos motivos. Hoje, após passar por vários médicos diferentes, sei que não era por ser bipolar. Eu tive que crescer ”, afirma.

Crescimento difícil

Demetria Devonne Lovato nasceu em Albuquerque, Novo México, em 20 de agosto de 1992. Iniciou sua carreira na série televisiva Barney e seus amigos. A televisão abriu as portas para a carreira musical, depois veio o cinema, as turnês e lá se vão 19 anos de trabalhos de sucesso em Prison Break, Just Jordan, Sunny entre Estrelas e Glee. Ocupou o posto de jurada na segunda temporada do reality show The X Factor, até ganhar o papel de Charlotte Adams, protagonista da série As the Bell Rings.

Encarou uma infância marcada por dificuldades. Ela revelou ter sofrido bullying na época escolar e teve que lidar com o sucesso e a fama desde adolescente. Em maio de 2013, Demi Lovato deu entrevista ao Fantástico, contou sobre as dificuldades que precisou enfrentar na vida.

Quando completou 18 anos, em 2010, a imagem de garota exemplar se quebrou com a notícia de sua internação em uma clínica para reabilitação do vício em cocaína, álcool e Xanax, além de distúrbios mentais e alimentares.

Superou os anos difíceis e conseguiu ficar sóbria por seis anos, período em que se transformou em garota propaganda da luta contra o vício e a defesa da saúde mental.

Expectativas alheias

O tema central da docu-série é mostrar que um indivíduo não deve arcar com o peso das expectativas de outras pessoas. Assim como o mostrou recentemente o documentário Framing Britney – A vida de uma Estrela, as consequências disso podem ser terríveis. Demi e Britney tiveram que aprender isso da maneira mais difícil.

Autolesão, bulimia, inseguranças e revolta foram venenos quase letais para a cantora Anyone, que até hoje carrega a amarga decepção de saber que seu suposto estuprador nunca sofreu consequências de seus atos, mesmo depois de ser denunciado por ela.

Lovato conta ainda que, anos depois foi estuprada novamente – desta vez por seu traficante na noite em que ela teve uma overdose em 2018. Ela conta que, quando acordou no hospital, foi questionada por membros da equipe se ela havia praticado sexo consensual.

Em uma entrevista para Ellen DeGeneres, Demi afirmou que sofria bullying na escola e era chamada de gorda. Isso por ter sido a causa de seus distúrbios alimentares. Além disso, a artista sempre enfrentou problemas com álcool e drogas. Em 2010, ela decidiu se internar voluntariamente em uma clínica de reabilitação.

Após concluir o tratamento, Demi revelou que também sofria de transtornos alimentares, automutilação e transtorno bipolar. Pouco tempo depois, a artista tatuou as palavras Stay Strong nos pulsos, que significa Fique Forte.

Demi Lovato mostra noite de overdose em seu novo clipe Dancing With The Devil
Demi Lovato e Noah Cyrus estão se conhecendo melhor, diz site

Noivado relâmpago

No capítulo final da docu-serie a cantora dá detalhes do seu romance avassalador e noivado com o ator Max Ehrich, que a pediu em casamento em julho passado, após ficar em quarentena com ela e sua família.

O casal se separou em setembro de 2020 e Demi revelou à revista Entertainment Weekly que havia se enganado com o rapaz. “Eu realmente me enganei, porque era a coisa segura e esperada. Percebi, com o passar do tempo, que não conhecia realmente a pessoa de quem estava noiva”, confidencia a estrela que garante estar bem melhor sozinha: “Obviamente eu me importava profundamente com ele, mas havia algo dentro de mim que era como, ‘Eu tenho que provar ao mundo que eu estou bem’. Agora que não estou noiva ou casada e estou bem, estou tipo Uau. Isso não é muito mais empoderador?”

Lovato e Ehrich se conheceram em março e começaram a namorar imediatamente. Ficaram noivos em julho e, em seguida, abruptamente se separaram em setembro. Eles se separaram, depois que ele aparentemente tentou usar seu relacionamento como influência na mídia.

Desde o rompimento com Ehrich, Lovato se declarou “muito esquisita para se casar com um homem” no momento. Diz estar focada em abraçar sua sexualidade e viver sua vida da “forma mais autêntica possível”, seja isso comer três bolos de aniversário após anos sendo comendo apenas “bolos de melancia”. Admite também até beber e fumar, com moderação.

Além de extremamente talentosa, Demi Lovato usa a sua fama e visibilidade para fazer o bem ao próximo. Ela já participou do projeto Friends For Change, da Disney, que visa encorajar as pessoas a preservarem a natureza. Após o terremoto e tsunami que aconteceram no Japão em 2011 fez uma doação de U$ 1 milhão para ajudar as vítimas.