Notícias às 10:50

Pabllo Vittar posa desmontado e corpaço chama atenção

Reprodução / Instagram

Pabllo Vittar roubou todos os holofotes da internet na madrugada desta terça-feira (21). Isso porque o artista publicou uma foto desmontado, ou seja, sem estar com o figurino de drag queen, e deixou todos os fãs ba-ban-do. 

Posando sem roupa, a estrela ostentou o abdômen definido e deixou pouco para a imaginação, já que até abaixou um pouco da cueca, revelando pelos pubianos e o volume marcado na peça. 

Completando o visual, Pabllo só usou um óculos de sol, uma corrente no pescoço e deixou o clique em preto e branco. "Boy bye", escreveu na legenda. 

Lady Chokey sobre encontro com Pabllo Vittar: ‘Uma simpatia'

O corpaço chamou muita atenção, como era de se esperar, e sua boa forma foi bastante evidenciada pelos internautas, que piraram com a imagem. 

Nos comentários, choveram elogios, é claro, além de mais de 342 mil curtidas em pouco tempo de publicação. 

"Que homem perfeito", "P*ta que pariu, gostosooooo", "Que homem, meu Deus", "Corpoooo", "Que arraso", "Namora comigo", "Perfeito de qualquer jeito", "Homem da minha vida", "Ai papai", "Que homão", "Tudoooo", "Eu faria horrores" e "Maravilha" foram algumas das mensagens. 

 

Pabllo Vittar ganha web ao postar foto sensual desmontado

 

Nova versão

Uma das faixas mais marcantes do segundo álbum de Pabllo Vittar, Não Para Não, é Trago Seu Amor de Volta, feita em parceria com Dilsinho, acumulando mais de 4,4 milhões de visualizações no Youtube.

Uma nova versão da faixa foi lançada no último dia 19 de junho, mas como parte do EP Love Day 2, do Analaga, projeto musical do produtor Dudu Borges.

Quiz: Qual ícone LGBTQIA+ retrata sua personalidade?

Além da nova versão da música da Pabllo, o EP retrabalhou também faixas de Dilsinho (12 Horas), Sorriso Maroto (Sinais) e Lucas Lucco (Mozão).

“É uma felicidade poder realizar um projeto tão genuíno, não só por trabalhar com artistas que ouvi a minha vida toda e admiro imensamente o trabalho, mas principalmente por poder reforçar o que acreditamos, que a música não se segmenta, se sente”, afirmou Dudu Borges.