Notícias às 18:22

Paulo Gustavo assinou contrato com a Amazon antes de morrer

Reprodução/TV Globo

Na última terça-feira (4), a Covid-19 fez mais uma vítima. Internado há 52 dias, Paulo Gustavo não resistiu às complicações causadas pela doença.

Além de deixar um buraco no coração de todos os brasileiros, o ator teve seus planos e sonhos interrompidos precocemente.

De acordo com a Revista Piauí, Paulo havia assinado um contrato de cinco anos com a Amazon, plataforma de streaming norte-americana.

O contrato teria início em janeiro de 2022, até lá o humorista cumpriria sua agenda de compromissos com o Grupo Globo.

Se não fosse a situação crítica da pandemia no Brasil, Paulo Gustavo teria começado a gravar em fevereiro a série Minha Mãe é Uma Peça, parceria entre o Multishow e o Globoplay.

O namoro entre Paulo Gustavo e Amazon levou dois anos até o contrato ser assinado de fato. Além da carreira internacional, o artista também optou pela plataforma de streaming para poder assinar como produtor-excutivo de seus projetos. O contrato previa um valor fixo anual e um complemento de acordo com o sucesso de cada produção.

Paulo Gustavo deixa o marido Thales Bretas e os filhos Romeu e Gael, de 1 ano e 9 meses.

Carreira de sucesso

 

Paulo Gustavo levou 5 milhões de pessoas ao teatro com Minha Mãe é Uma Peça e depois também ganhou as salas de cinema.

Minha Mãe é uma Peça 1 teve 4,7 milhões de espectadores, Minha Mãe é uma Peça 2, 10,8 milhões, e Minha Mãe é uma Peça 3, 11,5 milhões de pessoas, uma das maiores bilheterias do cinema nacional.

Obras sociais

 

Parte de seu faturamente era investido em obras sociais. O padre Julio Lancellotti contou que Paulo doou R$ 1,5 milhão para o projeto Obras Sociais Irmã Dulce.

Além disso, o artista doou R$ 500 mil para a compra de oxigêncio em Manaus e no ano passado depositou mil reais durante três meses para 120 pessoas que trabalharam em seus filmes.

Paulo Gustavo se foi, mas sua obra, seu talento, seu legado de generosidade e amor continuarão sempre conosco.