Notícias às 08:00

Por que gostamos tanto de assistir reality show? Especialista explica!

Juliette de chapéu do cangaço no meio do milho

Capa: Reprodução/Instagram

Estamos vivendo um momento diferente em nossas vidas. O mundo está mudado, o jeito que nos relacionamos e consumimos se modificou. Essas transformações também interferem no tempo que assistimos televisão, em que ficamos com nossas famílias.

Por exemplo, o reality show “Big Brother Brasil”, exibido por 100 dias pela Rede Globo, bateu recordes de audiência e colocou em pauta assuntos importantes como: cultura do cancelamento, machismo e a busca incansável pela beleza.

A campeã do BBB21, Juliette Freire, é um fenômeno! Só no seu perfil oficial do Instagram, a paraibana conquistou mais de 30 milhões de seguidores.

Mas… Por que reality show nos prende tanto?

OFuxico conversou com o psicanalista Junior Silva, sobre esse perfil de programa, como tem mexido com o telespectador.   

“Quando entramos num reality nossa vida vai para vitrine, entramos na intimidade de milhões de brasileiros que irá buscar alguém para amar, odiar, sorrir, chorar e até mesmo excluir e julgar. Quando as pessoas são excluídas e julgadas no programa, ela está fazendo isso com aqueles que a ferem no seu dia a dia e não conseguem mudar ou resolver. Quem nunca foi humilhado, chacoteado como Lucas Penteado? E não tivemos a força, oportunidade de resolver. Quando cancelaram a Karol Conka todos cancelaram os que maltratam, uma forma de alívio de suas dores é defender alguém que pode por meio de um voto ou deixar de seguir”, destacou ele.

 

Karol Conká deixou o País estarrecido ao humilhar Lucas Penteado (Fotomontagem/reprodução Globoplay)

Confira a entrevista

Primeiramente, o que as pessoas buscam ao assistir a um reality?

“As pessoas buscam diversão, mas também se comparam, julgam, criam laços. Queremos ver como os famosos ou anônimos se comportam. Fazemos uma comparação com a nossa realidade e que às vezes pode até gerar inveja. O ser humano gosta de analisar a vida de outras pessoas, comentar e se comparar!”

Por que nos espelhamos em pessoas que participam de reality?

“Quando vemos a ganhadora do BBB21 Juliette Freire, por exemplo, podemos ver uma mulher forte e justa. Pois, todos querem pessoas justas, resilientes, entre outras qualidades, do seu lado. Aí nosso voto vai para aqueles que desejamos ser próximos e também nos inspiramos. Ela é o reflexo de muitos que não conseguem ter voz na vida e isso inspira muitas pessoas. Ser brincalhona e divertida traz a imagem do brasileiro.”

Por que as pessoas gostam de ver brigas nessas atrações?

“Todo mundo gosta de um final feliz, mas o que é um final feliz se não tiver uma adrenalina, uma história de dificuldades? Ver conflitos e briga gera curiosidade de como será o final. Se a gente olhar as próprias novelas, sempre haverá um final feliz, entretanto, se não tiver um bom conflito que gere a tal adrenalina…”

Por fim, cite um exemplo.

“No ‘Power Couple Brasil’, que traz a proposta de testar afinidade do casal, de ver como se lida com as adversidades propostas pelo programa, pelo convívio com outros casais muitas vezes com personalidades diferentes, isso traz à tona a afinidade que os dois têm na sua vida real. O interesse do público, por muitas vezes, de forma inconsciente, não é ver a briga, mas como o casal as resolve. “Será que é igual lá em casa? Como aquele artista trata a esposa (o) quando ele (a) está bravo (a)? É igual como meu esposo (a) me trata?”. Ter briga, conflito e situações difíceis no reality é o caminho para ver como se resolve tudo isso também – seja com famosos ou anônimos.”

Casais na sala do Power Couple Brasil (Reprodução/PlayPlus)