Notícias às 16:10

Porta dos Fundos causa bate-boca no programa Fofocalizando, do SBT

Reprodução

Na tarde desta quinta-feira (9), o programa Fofocalizando abordou o tema polêmico, envolvendo o especial de Natal do Porta dos Fundos. O jornalista Gabriel Cartolano começou a falar do assunto e leu que o desembargador Benedicto Abicair havia ordenado a retirado da produção do ar.

Depois disso, Cartolano leu o que o magistrado havia falado em 2017, ao votar na ação contra Bolsonaro por homofobia.

“Não vejo como, em uma democracia, censurar o direito de manifestação de quem quer que seja. Gostar ou não gostar. Querer ou não querer, aceitar ou não aceitar. Tudo é direito de cada cidadão, desde que não infrinja dispositivo constitucional ou legal. Não vislumbro a existência de discriminação, de qualquer natureza, mas, sim, aplicação da livre manifestação de opiniões diversas", disse.

Após isso, ele comentou: “Ué, seu desembargador? O que aconteceu?”, afirmou, complementando: “Para mim, é total censura em todas esferas”.

Porém, quando Chris Flores quis saber a opinião de Mara Maravilha, o clima começou a esquentar, já que Mara um desrespeito à imagem de Jesus. “Eu não concordo em nada com que o Cartolano disse, eu não gostei da abordagem e nem do artístico. Eu sou cristã e como cristã, eu fiquei muito triste, abalada, decepcionada, ainda mais porque eu gosto muito do Fabio Porchat, que encabeça esse especial”.

Leão Lobo, então, soltou que também era “cristão e católico” e não concordava com o que Mara havia dito.

Discussão vai, discussão vem, os apresentadores ficaram com os nervos à flor da pele e Mara até chegou a ficar de lado para a câmera, quando foi focalizada, ao falar com Leão Lobo e Cartolano. “Eu posso não gostar?”.

Por fim, Chris Flores encerrou o assunto, terminando a discussão entre Cartolano, Mara e Leão Lobo.

 

Entenda o caso

Em dezembro de 2019, como arte da programação de Natal, a Netflix se juntou ao Porta dos Fundos e lançou a comédia A Primeira Tentação de Cristo, que tem 46 minutos de duração. Grupos religiosos não aceitaram o tema abordado e pediram boicote à produção. No vídeo, eles sugerem que Jesus Cristo teve uma relação homoafetiva quando estava no deserto e teve um triângulo amoroso entre José, Maria e Deus.

O vice-presidente da União dos Juristas Católicos de São Paulo (UJUCASP) e advogado Paulo Henrique Cremoneze alegou que o filme traz atos blasfemos à liberdade religiosa. “A atitude do Porta dos Fundos fere a liberdade religiosa e deforma profundamente o autêntico conceito de arte. Os cristãos de todas as confissões devem se unir em defesa dos valores fundamentais da fé e expor seu veemente repúdio ao filme, ao Porta dos Fundos e a própria Netflix”, disse. As informações são do portal religioso Pleno News.

Cremoneze ainda pediu para que todos cristãos boicotem a plataforma de vídeo e demais empresas que têm os humoristas como garotos propagandas.

Além dele, o deputado federal Marco Feliciano também demonstrou insatisfação com o conteúdo e revelou que já processou o grupo de comediantes anos atrás. Agora, ela quer um “basta”. “Cristãos e não cristãos me cobram atuação contra os irresponsáveis do Porta dos Fundos. Em anos anteriores já os processei, mas a “Justiça” diz q é liberdade de expressão. Está na hora de uma ação conjunta das igrejas e pessoas de bem para dar um basta nisso. Unidos somos fortes!”, disse em um post.

Ataque

Na madrugada de terça-feira, 24 de dezembro e véspera de Natal, a produtora responsável pela criação dos programas Porta dos Fundos foi alvo de um ataque, no Humaitá, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Segundo a assessoria de imprensa do grupo, dois coquetéis molotov foram jogados na fachada do imóvel. O caso foi registrado como crime de explosão na 10ª DP (Botafogo). De acordo com a assessoria, houve danos materiais no quintal e na recepção. O fogo foi contido por um funcionário que estava no prédio.

"Porta dos Fundos condena qualquer ato de ódio e violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos", afirmou a nota da assessoria.

Leia a nota do grupo na íntegra:

Na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, a sede do Porta dos Fundos foi vítima de um atentado. Foram atirados coquetéis molotov contra nosso edifício. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua.

Porchat se pronunciou

Nas redes sociais, Fábio Porchat, integrante do Porta dos Fundos, escreveu: "Não vão nos calar! Nunca! É preciso estar atento e forte… “.

Na madrugada do dia 24 de dezembro, véspera de Natal, a sede do Porta dos Fundos foi vítima de um atentado. Foram atirados coquetéis molotov contra nosso edifício. Um dos seguranças conseguiu controlar o princípio de incêndio e não houve feridos apesar da ação ter colocado em risco várias vidas inocentes na empresa e na rua. O Porta dos Fundos condena qualquer ato de violência e, por isso, já disponibilizou as imagens das câmeras de segurança para as autoridades e espera que os responsáveis pelos ataques sejam encontrados e punidos.

Contudo, nossa prioridade, neste momento, é a segurança de toda a equipe que trabalha conosco. Assim que tivermos mais detalhes, voltaremos a nos manifestar. Mas, por enquanto, adiantamos que seguiremos em frente, mais unidos, mais fortes, mais inspirados e confiantes que o país sobreviverá a essa tormenta de ódio e o amor prevalecerá junto com a liberdade de expressão.”

Retrospectiva

Quem nasceu em 2019

Quem morreu em 2019

Quem casou em 2019

Quem separou em 2019

O Brasil se despede de Gugu Liberato