Notícias às 15:05

Príncipe Philip será homenageado com sinos por 99 minutos

Reprodução/Instagram

A Família Real Britânica amanheceu com uma triste notícia: morreu o Príncipe Philip, marido da Rainha Elizabeth II, aos 99 anos de idade.

Por conta disso, a Abadia de Westminster, o templo mais antigo e famoso de Londres, fará uma homenagem ao monarca nesta sexta-feira (09).

A partir das 18h, o sino do local soará 99 vezes a cada sessenta segundos, ou seja, 99 minutos no total, sendo essa a idade com que Philip faleceu.

O Príncipe Philip passou seus últimos dias no Castelo de Windsor com a rainha depois de uma internação de 28 noites no hospital, tendo sido internada em meados de fevereiro devido a uma infecção e logo um problema cardíaco pré-existente.

Sua Majestade anunciou a morte de seu marido ao meio-dia, quando a bandeira da União foi baixada a meio mastro do lado de fora do Palácio de Buckingham, em Downing Street e em prédios públicos em todo o Reino Unido e da Commonwealth.

O sino também fez parte do funeral da princesa Diana, no sábado, 6 de setembro de 1997. Quando começou a tocar, sinalizou a saída do cortejo do Palácio de Kensington.

O sino tenor também foi tocado no funeral da Rainha Mãe em 2002, tocando 101 vezes, uma para cada ano de sua vida.

O sino tocará esta noite na mesma igreja onde o príncipe Philip e a rainha se casaram há 73 anos e onde Sua Majestade foi coroada em junho de 1953.

Apresentador atribui morte de Príncipe Philip a Meghan Markle e Príncipe Harry
Presença dos Duques de Sussex no funeral do Príncipe Philip pode ser censurada

Duques de Sussex lamentam morte do Príncipe Philip

O Príncipe Harry e Meghan Markle prestaram hoje uma breve homenagem ao príncipe Philip após a notícia da morte do duque de Edimburgo, por meio de uma postagem no site de sua fundação Archewell. 

Uma mensagem curta publicada no site junto a uma foto do marido da Rainha Elizabeth II dizia: "Obrigado por seus serviços … Sua falta será muito sentida". A postagem de 21 palavras ocupa toda a página principal do site.

O autor real e amigo de Harry, Omid Scobie, coautor de sua biografia Finding Freedom, revelou que o príncipe deve voltar ao Reino Unido para o funeral de seu avô. 

O reencontro de Harry com sua família, acontece em um momento crucial para uma família real dividida que ainda está sofrendo feridas profundas por causa de sua entrevista bombástica com Oprah Winfrey. 

De acordo com o jornal Daily Mail Harry comparecerá ao evento na Capela de São Jorge, em Windsor, provavelmente na próxima semana, e embora não tenha havido nenhuma palavra sobre se Meghan se juntaria a ele, acredita-se que seja improvável devido às circunstâncias, já que está na reta final de sua segunda gravidez. 

É provável que Harry faça a viagem para Londres em um jato particular de sua casa perto de Los Angeles e entende-se que ele pode ter permissão para usar uma isenção diplomática para dispensar as regras de quarentena normais da Covid que se aplicam a voos dos Estados Unidos. 

Foi relatado que Harry já estava em isolamento em sua mansão de Santa Bárbara desde que soube do estado de saúde de Philip. 

O diário inglês afirma que ele será testado para Covid-19 antes de sua partida dos Estados Unidos e na chegada ao Reino Unido, em vez de ficar sujeito à quarentena normal de 10 dias, embora os viajantes possam sair da quarentena se o teste for negativo após cinco dias. 

Não se sabe onde ele ficará durante sua estadia no Reino Unido, nem por quanto tempo permanecerá após o funeral. 

A reunião do duque de Sussex com seu irmão William e pai, o príncipe Charles, será estranha o suficiente após as chocantes acusações dele e de Meghan, principalmente porque eles ignoraram completamente os telefonemas da família real pedindo que adiassem a entrevista de 7 de março para a CBS porque Philip não estava bem.