Notícias às 17:00

Produção de Missão: Impossível 7 é interrompida novamente

Grosby Group

Cinco meses após vazar um áudio de Tom Cruise gritando com sua equipe do filme Missão: Impossível 7 por quebrar os protocolos de segurança contra a Covid-19, o ator esclareceu a situação em uma nova entrevista.

Conversando com a revista Empire, o astro de 58 anos foi questionado sobre esse episódio específico e respondeu:

“Eu disse o que disse”, comentou Cruise, observando que ele estava apenas se dirigindo à determinadas pessoas no set que estavam violando os protocolos de segurança.

"Havia muita coisa em jogo naquele ponto”, justificou.

O filme teve que entrar em pausa duas vezes devido à pandemia do coronavírus, fazendo com que a estrela de Top Gun ficasse chateada quando as pessoas de sua equipe não estavam seguindo as regras.

“Todas essas emoções estavam passando pela minha mente”, disse o ator à revista. “Estava pensando nas pessoas com quem trabalho e na minha indústria. E para toda a equipe saber que tínhamos começado um filme foi um grande alívio. Foi muito emocionante, tenho que te dizer”, afirmou.

Desde a discussão no set, o filme não foi pausado novamente, segundo o ator:

"Aqui estamos nós, continuamos filmando", disse Cruise, e ainda brincou dizendo que 'está disponível' para 'Festas pelo Zoom e festas infantis também'.

No áudio, postado pelo The Sun em dezembro, o ator foi ouvido gritando com membros da equipe:

"Eles estão de volta a Hollywood fazendo filmes agora por nossa causa. Estou ao telefone com todos os estúdios de merd* à noite, seguradoras, produtores. Eles estão nos olhando e nos usando para fazer seus filmes. Estamos criando milhares de empregos, seus filhos da p*ta. … Se eu vir você fazer isso de novo, você tá fora. E se alguém nesta equipe fizer isso, é isso – e você também e você também. E você, nunca mais faça isso de novo. É isso. Sem desculpas. Você pode contar para as pessoas que estão perdendo suas porr*s de casa porque nossa indústria foi fechada".

Tom Cruise supostamente gastou US$ 665 mil (R$ 3,6 milhões) de seu próprio dinheiro para hospedar membros da equipe durante as filmagens e ficou 'horrorizado que alguém arriscasse a filmagem com um ato de estupidez tão absurda' ao se expor, na época, ao contágio.