Notícias às 09:00

Programa do Príncipe Harry com Oprah Winfrey é adiado

Reprodução/Instagram

Um projeto de televisão envolvendo o príncipe Harry e a apresentadora Oprah Winfrey sobre o tema de saúde mental foi adiado, de acordo com o jornal inglês The Sun.

O duque de Sussex e a ex-rainha da televisão dos Estados Unidos planejavam lançar uma série juntos através da plataforma AppleTV +, no entanto, o projeto foi adiado várias vezes e agora há apenas planos vagos de quando ele finalmente irá ao ar.

Duques de Sussex terão de renegociar acordo com a Rainha

Originalmente, o programa deveria ir ao ar pela Apple no final de 2020, mas agora, supostamente, a série só deve estrear no final deste ano.

Uma fonte do diário comentou: "Uma data de lançamento firme ainda não foi anunciada devido à pandemia (…) atualizações sobre a série foram mantidas em segredo porque atrasos nunca parecem bons", acrescentou, comentando que as filmagens podem começar na próxima primavera americana.

A série foi revelada pela primeira vez em abril de 2019. Uma postagem no antigo Instagram dos Duques na época dizia: “Temos o prazer de anunciar que o Duque de Sussex e Oprah Winfrey são parceiros, co-criadores e produtores executivos em seu próximo programa de saúde mental a ser lançado na AppleTV+ em 2020”.

O programa não estreou, e o príncipe Harry e sua esposa Meghan, duquesa de Sussex, assinaram acordos milionários para criar conteúdo para outros serviços de streaming como Netflix e Spotify.

Para súditos, discurso da Rainha foi mensagem de esperança
Príncipe Harry vê David Foster como uma figura paterna


Acordo com a Rainha

Faltando poucos dias para o primeiro aniversário da saída dos Duques de Sussex como membros-sênior da realeza britânica, o jornal The Sun afirma que o Príncipe Harry e a duquesa Meghan precisarão voltar às negociações com o palácio e a Rainha Elizabeth II sobre continuar ou não com sua vida independente nos Estados Unidos.

De acordo com a publicação, o duque e a duquesa farão vídeo-chamadas e reuniões presenciais com os membros-sênior da família real para discutir sobre o futuro status deles.

"Particularmente vão discutir os acordos de Harry e Meghan com a Netflix e o Spotify, com a família real britânica e seus ajudantes, analisando se esses projetos estão de acordo com os valores da rainha", revelou uma fonte.

Porém, especialistas em assuntos da realeza acreditam que não haverá problemas quando se trata disso.

Conversando com Max Foster, da CNN, o autor real Omid Scobie falou sobre as similaridades dos projetos não-lucrativos de Harry e Meghan com o trabalho da monarquia, dizendo que o impacto social do casal 'mantém os valores da família real'.

Mas, mesmo com os valores comparados, parece que os Sussex não têm intenção de reclamarem seus títulos sênior da realeza ainda, porque o casal pretende negociar uma extensão para sua saída da família real.

"Eles querem um acordo mais permanente como pessoas da realeza que não exercem sua função na Califórnia", disse o The Sun.

Apesar do relacionamento entre a realeza e os Sussex estar melhor do que era antes, Scobie diz que Harry e Meghan 'preferem olhar para frente'.

E esse poderia ser o motivo: em seu pedido de independência financeira, Harry e Meghan já tinham assinado um contrato de US$ 200 milhões com a Netflix e outro de US$ 25 milhões com o Spotify, de acordo com Omid.