Notícias às 12:12

Reinfectada pela Covid-19, Luisa Mell afirma: ‘Muito apavorada. Chorei muito’

Reprodução/Instagram

No início deste mês, Luisa Mell usou as redes sociais para confirmar que foi reinfectada pelo vírus do novo coronavírus. A primeira vez que a ativista da causa animal foi diagnosticada com a doença foi em março de 2020. Em entrevista ao OFuxico, Luisa falou do pavor que sentiu ao receber a notícia do médico e ainda falou, com indignação, de ameaças de morte que andou recebendo.

Luisa afirmou que tem recebido mensagens de pessoas que chegam até a desejar sua morte e lamentou a situação do mundo.

"Eu falei alguma coisa nas minhas redes sociais e recebi mensagens de haters desejando a minha morte. É muito horrível saber que tem pessoas desejando esse mal para a gente. São coisas muito ruins. Nesse momento tão difícil que eu estou vivendo , a gente já fica mais sensível, vendo essas notícias horríveis. Só coisas terríveis acontecendo neste País, né? E quando a gente vai ver como estão as pessoas,  enxergamos gente te desejando morte. É uma situação muito maluca. E isso tudo por opiniões divergentes na política. Isso é o que está ocorrendo é uma coisa doentia", disse ao OFuxico.

Luisa também relembrou do momento em que foi diagnosticada, pela segunda vez, com a doença da Covid-19.

“Quando recebi a notícia de que havia testado positivo novamente fiquei muito apavorada. Chorei muito. Fiquei preocupada pensando que poderia ter passado para os meus pais, para o meu marido, mas graças a Deus ninguém pegou nem meu marido, nem meu filho e nem meus pais", afirmou.

Ela completou:  "Eu  fiquei mal três dias. Fiquei bem gripada e depois melhorei. Da outra vez, eu fiquei doente mais tempo. Tive pneumonia. Fiquei bem pior. Estou longe de todo mundo. Estou trancada em um quarto há dias. Essa parte é muito dura né? Porque meu filho sofre muito comigo também.  Essa doença é uma coisa desesperadora."

Luisa finalizou lamentando a morte do humorista Paulo Gustavo. O ator morreu em decorrência de consequências da Covid-19.

"Quando soube da morte do Paulo [Gustavo], eu o conhecia de vista, não era meu amigo, mas chorei tanto, foi tão forte, não sei nem explicar. Eu acredito que essa notícia pegou todo mundo por muitos motivos. Pela  idade dele, por ter todos os recursos possíveis  e mesmo assim essa doença mostrou literalmente, a tragédia que é. É um choro coletivo de tudo, né? E a gente tem esse medo de não saber onde vai dar tudo isso, que a gente não tem vacina e de morrer um artista tão amado, tão jovem com tanto para oferecer ainda. Que deixou dois filhos pequenos. Nossa! Que tristeza", lamentou.