Notícias às 18:15

Rihanna revela coleção temática do Mês do Orgulho LGBTQIA+

Rihanna em pose provocante, com cabelo volumoso

Reprodução/Instagram

Rihanna é uma artista bastante engajada nas pautas sociais, sempre dando seu apoio por meio de sua marca de lingeries, a Savage X Fenty.

Em celebração ao Mês do Orgulho LGBTQIA+, a artista preparou uma coleção temática com jaquetas, tops, meias, cuecas e até mesmo um chicote.

As peças tem preço estimado entre R$ 86 e R$ 355, cuja parte da renda será doada a organizações que lutam pela diversidade, como a GLAAD, the Audre Lorde Project, The Caribbean Equality Project, INC., Trans Latin@ Coalition e The Trans Wellness Center.

Ainda, Rihanna focou em escolher pessoas bastante diversas para serem modelos da coleção, que será estrelada pelos modelos Ahmad Kanu e Rahquise Bowen, a artista Aya Brown, a modelo plus size e dançarina Dexter Mayfield, a estrela de “RuPaul’s Drag Race” Gigi Goode, a influenciadora transgênero Jaslene Whiterose, a modelo da Fenty Skin, Jazzelle Zanaughtti, e o hairstylist Yusef Williams.

“O orgulho tem a ver com valorizar o seu eu autêntico […] Estou muito animada com esta coleção e mostrando amor e apoio à comunidade LGBTQIA +, que inclui muitos de nossos clientes, membros da equipe e fãs”, declarou a cantora em um comunicado oficial.

Para deixar tudo ainda melhor, um festão virtual ao final do mês será realizado para celebrar a coleção.

Rihanna é vista em protesto do movimento Stop Asian Hate, em Nova York

Sempre militante pelas causas sociais, Rihanna foi fotografada no início de abril participando dos protestos do movimento Stop Asian Hate, em Nova York, nos Estados Unidos. A cantora apareceu em fotos publicadas pela amiga, Tina Truong, no Instagram.

Nas imagens, a estrela aparece escrevendo cartazes para o protesto, um movimento que luta contra o racismo, xenofobia e denuncia o aumento dos crimes de ódio contra a comunidade Asiática-Americana e das Ilhas Pacíficas (AAPI) nos Estados Unidos.

Os protestos foram acentuados por causa do tiroteio em Atlanta, em fevereiro, que deixou oito mortos, incluindo seis mulheres de ascendência asiática. Artistas como BTS e Eric Nam falaram sobre a importância do movimento.