Notícias às 03:00

Sharon Osbourne é despedida por alegações de racismo

Reprodução/Instagram

Segundo o jornal New York Post,  Sharon Osbourne deve receber entre US$ 5 milhões a US$ 10 milhões da CBS por sua saída do programa The Talk.  Uma fonte comentou que além desse valor que ainda está sendo analisado, ela fez um acordo de não comentar de quem foi a decisão de deixar o talk show, embora esteja claro que ela foi despedida pela emissora, após as acusações que sofreu. 

"Sharon falará quando estiver pronta. Ela ainda quer contar sua versão da história. Ela está naquele programa há 11 anos e conhece todos os segredos", explicou a fonte. 

Osbourne culpou as consequências do segmento na rede, alegando que ela foi deliberadamente emboscada para que 'explodisse' ao vivo, seguindo a direção de executivos da CBS, a mesma emissora que produziu a entrevista de Oprah Winfrey com Meghan Markle e Príncipe Harry, e que Piers Morgan criticou no ar antes de sair do Good Morning Britain. 

Ao discutir o assunto no The Talk, Sharon falou dos comentários de Morgan que ele não acreditava em Markle ter pensado em suicídio, dizendo que isso não fazia dele um racista, e menos ela por ser amiga dele. Mais tarde, ela se desculpou no Twitter. 

No entanto, enquanto a CBS colocava o programa em uma pausa para investigar os problemas que ela teve ao vivo, a ex-apresentadora do show, a atriz Leah Remini fez novas acusações contra Osbourne, alegando que ela usou calúnias gays sobre a sexualidade da ex-apresentadora Sara Gilbert e fez comentários preconceituosos sobre a ex-apresentadora Julie Chen, que é asiática. 

Os comentários de Remini se unem aos de Holly Robinson Peete que também acrescentou acusações raciais à Osbourne, indicando que se referiu a ela, por ser negra, como sendo 'muito gueto' para o programa. 

Em um comunicado divulgado na sexta-feira, a CBS anunciou que Osbourne "decidiu" deixar o The Talk, acrescentando: 

"A investigação concluiu que o comportamento de Sharon em relação a suas co-apresentadoras não se alinha aos nossos valores de um local de trabalho respeitoso". 

A rede também negou as alegações de "emboscada" que Sharon afirma ter sofrido. 

Liberdade de expressão

Após ser defendido pela amiga Sharon Osbourne, após sua saída intempestiva do programa Good Morning Britain, por não querer se desculpar com Meghan Markle por seus comentários contra a duquesa  de Sussex, Piers Morgan também deu a cara para defender Sharon que acaba de deixar seu trabalho no programa The Talk, da CBS, após 11 temporadas depois de ser acusada de racista e por sua defesa de Piers. 

Em conversa com o jornal The Mail on Sunday, Morgan acusou alguns meios de comunicação de tentarem calá-los, o que para ele significa uma grande censura à liberdade de expressão. 

Ele lembrou recentemente que tanto seu trabalho como o trabalho de Osbourne é de comentar e opinar sobre as situações em evidência nos meios, mas para Piers a polêmica envolvendo os duques de Sussex provou que não existe a tal liberdade de opinião. 

Mas ele afirma que essas demissões não tem nada a ver com Markle, pois ela não tem essa influência toda que pensa: 

"O que aconteceu comigo e com Sharon na última quinzena não é realmente sobre a Sra. Markle. Este é um problema muito maior do que uma duquesa delirante, e esse é o direito de todos, de termos a liberdade de expressar nossas opiniões honestas, com força e paixão, se assim o desejarmos.", afirmou.