Notícias às 14:00

Sharon Osbourne recupera gato desaparecido

Reprodução/Instagram

Sharon Osbourne passou por dias difíceis esta semana quando sua gatinha Momo desapareceu. A apresentadora de televisão pediu ajuda em suas redes sociais para localizar o animalzinho e postou várias fotos dela. 

Sharon compartilhou a notícia em seu Instagram dizendo: 

“Momo, meu precioso gato Scottish Fold está desaparecido há 3 dias”, escreveu Sharon ao lado de uma foto de Momo. “Se alguém perto da área de Larchmont a viu ou conhece alguém que a viu, por favor, me mande um direct. Haverá uma recompensa. Rezando para que meu bebê Momo esteja seguro e bem.”, escreveu. 

“Ela está com chip, mas não usa coleira. Ela é muito amigável e fofinha, mas não é um gato inteligente de rua. Ela é uma gata de casa”, acrescentou. 

Felizmente no sábado, Osbourne compartilhou boas notícias: Momo estava de volta em casa, e em segurança. 

"Ela voltou! Momo está de volta em casa! Obrigado a todos por suas amáveis palavras e conselhos, significou muito para mim !!!!! ", anotou Sharon. 

Polêmica

Sharon Osbourne planeja escrever um livro sobre seu tempo no programa The Talk. A estrela de 68 anos recentemente deixou o painel em circunstâncias polêmicas, acusada de racismo, depois de defender o amigo Piers Morgan e criticar Meghan Markle. 

Agora segundo a revista You, a esposa de Ozzy Osbourne está ansiosa para contar a sua versão sobre o que aconteceu, independentemente das consequências. 

Ela disse: “Eles me pagaram pelo meu contrato e eu fui a pé. Não houve US$ 10 milhões [acordo] e tudo isso. Eu não quero nada deles. Eu não quero processá-los. Eu vou escrever um livro. Eu vou contar tudo.", confirmou a apresentadora. 

“Eles não me amordaçaram. Eu nunca assinaria uma ordem de silêncio, então posso fazer o que quiser.”, acrescentou Sharon. 

Questionada se está preocupada com as consequências, ela disse: "Não estou nem aí, porque estou em uma posição em que sou abençoada e sei que sou. Eu tenho minha família, meu marido cuida muito bem de mim. Eu nunca quis ser a maior ou a melhor. Eu vivo minha vida, é isso.”, comentou. 

Sharon Osbourne reflete dizendo que depois dessa experiência que viveu ao ser despedida do programa não espera trabalhar na televisão dos Estados Unidos nunca mais. 

Ela disse à You: "Eles nunca me terão. Vou escrever um livro. Vou fazer um podcast e estamos negociando um filme da história de vida de Ozzy. Eu vou produzir isso.”, afirmou. 

Sharon comentou também que está cansada de morar em Los Angeles e quer voltar 'para casa' na Inglaterra, mas é uma decisão difícil de tomar porque seus netos moram nos Estados Unidos: 

"Olha, você não quer estar em Los Angeles, cara. Não é mais legal aqui. Mais pessoas sem-teto. Tudo está bloqueado por causa do coronavírus. Eu quero voltar para casa. Ozzy sempre diz: ‘Onde vamos pendurar nossos chapéus e viver o nosso último capítulo?’… Honestamente, não sabemos. Nossos netos estão aqui e meu filho se divorciou, então ele não pode tirar os filhos da Califórnia. É realmente complicado. Pelo menos quando pudermos viajar, será ótimo voltar para casa e apenas ser livre", assegurou. 

Sobre as acusações de racismo, ela afirma: "Eu sei o que eu sou. Eu conheço meus defeitos. Sei que me comportei mal, não me comportei profissionalmente, mas eles também não. Eu sei minha parte, mas eu sei que não sou racista (…) Eu não esperava chegar aos 68 anos e ter tudo isso comigo. Não quero que meu legado seja: 'Bem, ela era racista'. Ou seja, é uma loucura. Simplesmente não é verdade", finalizou.