Notícias às 08:38

Simone Biles é bronze na trave e Flávia Saraiva, lesionada, fica em sétimo

Foto: Ricardo Bufolini/ CBG

Os dias difíceis pareciam ter ficado para trás e com sorrisão no rosto, a lenda Simone Biles competiu na trave. Ela decidiu se divertir nesta terça-feira, 03 de agosto, depois de cinco desistências por conta da saúde mental. A norte-americana – apesar de leves desequilíbrios – teve 14.000 pontos cravados e garantiu medalha de bronze. O ouro e a prata ficaram com as chinesas Guan Chenchen e Tang Xijing , respectivamente. A brasileira Flávia Saraiva ficou em sétimo lugar.

Lesionada, Flavinha teve de segurar no aparelho para não cair, mas isso é considerado uma queda. A brasileira se recuperou bem no restante da série e conseguiu fechar sua segunda final olímpica com a nota 13,133, ficando bem longe do pódio, mas feliz.

“Eu sei que estou com sentimento de muita felicidade. Sei que foi muito difícil chegar aqui nessas Olimpíadas. Não foi só a entorse (no tornozelo), foram várias coisas que aconteceram este ano. Então eu me sinto já uma vitoriosa de estar aqui”, disse.

“Estou muito feliz pelos resultados que a Rebeca conquistou, que foram incríveis. Vai ajudar muito o reconhecimento da ginástica. Estar em uma segunda final olímpica, em um ano tão conturbado, é incrível”, concluiu a atleta.

BILES É REVERENCIADA

Em Tóquio, Simone havia conquistado apenas a prata por equipes, como reserva. Nos últimos dias, havia dito que seu corpo e mente não estavam em sintonia. Por conta disso, ficou fora das finais do individual geral, do salto, das barras assimétricas e do solo para cuidar da saúde mental. Ela foi confirmada na final da trave apenas na véspera da competição.

Mesmo sem torcida por causa da pandemia do coronavírus, muita gente viu de perto a estrela da ginástica voltar a se apresentar. O presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, também estava presente e conversou com a americana depois da prova.

REENCONTRO

Na Rio 2016, Simone Biles e Flavinha Saraiva eram fortes candidatas ao pódio. A norte-americana teve de se segurar no aparelho para não cair (o que agora aconteceu com a brasileira), mas faturou o bronze apesar da falha grave. Flavinha teve um grande desequilíbrio e acabou na quinta posição.

Na época, a americana chegou a afirmar que a série da brasileira havia sido superior. Agora, em Tóquio, as duas gigantes se reencontraram na final olímpica de trave, cinco anos depois.

Veja +: Rebeca Andrade tem um caminho lindo e promissor pela frente

REBECA ANDRADE GANHA HOMENAGEM DA TURMA DA MÔNICA

No Instagram, a equipe de Maurício de Sousa fez uma homenagem super fofa para Rebeca. Na conta oficial da Turma da Mônica, foi postado um card em que a personagem Milena aparece com roupa de ginasta.

“Dia especial demais com Rebeca Andrade escrevendo seu nome na história da ginástica brasileira. Parabéns”, dizia a legenda.