Notícias às 17:44

Atriz de ‘Doutor Estranho’ é presa após condenação por crimes sexuais

zara phythian posando séria
Reprodução/Instagram @enespanol.24

Esta segunda-feira, 16 de maio, começou com uma notícia bombástica: a prisão de Zara Phythian e do marido, Victor Marke, após ambos serem condenados por crimes sexuais, que segundo Daily Star, se iniciaram quando a vítima possuía apenas 13 de anos de idade.

De acordo com a BBC, Zara, que chegou a atuar no primeiro filme do “Doutor Estranho”, sendo parte de um grupo de vilões, foi condenada a oito anos de prisão, enquanto a pena de Victor teria ficado em 14 anos de reclusão, pois o mesmo teria abusado individualmente de outra jovem de 15 anos de idade.

No depoimento da vítima (que não quis se identificar e atualmente possui 29 anos) ao tribunal de Notthingham Crown, os abusos teriam acontecido entre 2005 e 2008, quando teria entre 13 e 15 anos, sendo inclusive filmados pelo casal. Em uma das ocasiões, a atriz teria desafiado a vítima a fazer sexo oral no marido, que depois transou com ambas.

Leia+: Amber Heard afirma que Johnny Depp deu murro em seu maxilar por ciúmes

Zara Phythian e Victor Marke negaram todas as acusações, mas o juiz Mark Watson, responsável pelo julgamento, teria apontado o condenado como “a força motriz por trás do abuso”, além de apontar a influência dele em cima da artista.

Embora você tenha negado no interrogatório que estava apaixonada por Victor Marke, com base nas evidências que ouvi, não tenho dúvidas de que seu desvio foi moldado pela influência que ele teve sobre você desde jovem”, disse ele a Zara Phythian.

PASTOR QUE OROU PRO MORTE DE PAULO GUSTAVO FOI CONDENADO

O pastor José Olímpio, da Igreja Assembleia de Deus, não escapou da justiça dos homens. O Ministério Público Estadual (MP-AL) denunciou o religioso por “crime tipificado no art. 20 da Lei 7.716/1989 praticar discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional- racismo”.

José Olímpio havia feito uma postagem na internet afirmando que ia orar pela morte do ator e humorista Paulo Gustavo, quando o artista ainda estava internado em estado grave com Covid-19. Paulo Gustavo morreu no dia 4 de maio de 2021.

A postagem foi feita na conta pessoal do pastor José Olímpio no Instagram e apagada depois da repercussão negativa. Acompanhado de uma foto do ator, o texto dizia: “Esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza? E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”.

Leia+: Um ano sem o humor, mas com o legado eterno de Paulo Gustavo

Na decisão, o juiz Ygor Vieira de Figueirêdo disse que a conduta preconceituosa do pastor foi feita diante da orientação sexual do artista. Desde 2019 a Justiça brasileira equipara a homofobia ao crime de racismo.

“No caso em apreço, diante das evidências existentes nos autos, da foto escolhida para a postagem e do reconhecimento nacional do qual gozava o ator, inclusive por seu engajamento na pauta da comunidade LGBQTIA+, o tom discriminatório é cristalino, motivo pelo qual resta demonstrada que a conduta preconceituosa foi feita em virtude da orientação sexual do senhor Paulo Gustavo”, diz o magistrado em trecho da decisão.

Pastor José Olímpio condenado por orar pela morte de Paulo Gustavo
Pastor José Olímpio foi condenado por orar pela morte de Paulo Gustavo (Foto: Divulgação)

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!