Novelas às 08:00

Em clima de festa junina: relembre os caipiras mais queridos das novelas

Fotomontagem Lima Duarte e Camila Queiroz

Fotomontagem/Divulgação/TV Globo

Mais um mês de junho sem os tradicionais festejos caipiras. Pelo segundo ano consecutivo, em função da pandemia do coronavírus, nada de festa presencial e homenagem a São João e São Pedro. Além do Carnaval, esta é uma comemoração ímpar no Brasil que destaca a cultura do povo, sobretudo do Nordeste.

Isso inclui danças, músicas típicas, vestimentas, com camisa quadriculada, jeans, botas e até mesmo o chapéu de palha. As comidinhas típicas são um atrativo à parte… Não tem dieta que resista a um quentão, pé-de-moleque, bolo de fubá, maçã do amor e muito mais.

Contudo… segue na lembrança até que consigamos colocar um ponto final nessa pandemia. Em contrapartida, sugerimos que você pegue seu milho cozinho, coloque um bom forró pra tocar e siga essa leitura, relembrando personagens caipiras que fizeram sucesso nas novelas. Bóra?

Confira a lista dos caipiras mais amados

Sassá Mutema – Lima Duarte, em “O Salvador da Pátria”
Salvador da Silva era nascido no interior de Minas Gerais, mas vivia  numa cidade paulista, a fictícia Tangará. Colhia laranjas na fazenda do deputado federal Severo Toledo Blanco (Francisco Cuoco). Boia-fria, analfabeto, era usado pelo político como bode expiatório. Como bom herói, ele se torna um homem culto, conquista a professora Clotilde (Maitê Proença) e desbarata uma quadrilha de tráfico de drogas.

Foto (Reprodução/TV Globo)

Tião – Murilo Benício, em “América”
A novela era ambientada no interior e tinha o universo dos rodeios como carro chefe. Obstinado, corajoso, passional e meigo, Tião tinha grandes ideais, mas sempre pensando nos outros antes de pensar em si. Apegado à família, às tradições, à religiosidade, jurou para si mesmo tornar-se um campeão de rodeios. A novela foi recheada de música country americana.

Foto (Divulgação/TV Globo)

Olga e Zeca – Eduardo Sterblitch e Maria Eduarda Carvalho, em “Éramos Seis”
Olga, irmã da protagonista Lola (Glória Pires) tinha mania de grandeza, sonhava com uma vida de luxo. Zeca, caipira dos anos de 1920, era esnobado por ela. Mas acabou se tornando o prefeito de Itapetininga décadas depois e a ruiva foi alçada ao posto de primeira-dama da cidade!

Foto (Divulgação/TV Globo)

Januário – Taumaturgo Ferreira, em “O Cravo e a Rosa”
Empregado da fazenda de Petrucchio (Eduardo Moscovis), apaixonado por Lindinha (Vanessa Gerbelli), a sobrinha de outro empregado, Cornélio (Pedro Paulo Rangel). Lindinha era apaixonada pelo patrão e por isso desprezava Januário, que vivia correndo atrás dela sempre carregando debaixo do braço sua porquinha de estimação – que também se chamava Lindinha, em homenagem à amada. A jovem passa a dedicar uma atenção maior a ele quando descobre que Januário é filho de um homem muito rico, Joaquim (Carlos Vereza), mas seu amor pelo rapaz se revela verdadeiro no final das contas.

Timóteo – Marcello Novaes, em “Chocolate Com Pimenta”
Só mesmo a vaca Estrela escutava os muitos lamentos e frases de revolta do caipira. Era apaixonado por sua prima Márcia (Drica Moraes), que vivia na fictícia zona rural de Ventura.

Foto (Reprodução/TV Globo)

Mirna, Crispim e Tio Bernardo – Fernanda Souza, Emílio Orciollo Netto e Emiliano Queiroz, em “Alma Gêmea”
Os dois irmãos e o tio trabalhavam no cultivo e venda de rosas para o protagonista Rafael (Eduardo Moscovis). Mirna sonhava em casar e seu maior pretendente foi Jorge (Marcelo Faria). As cenas de personagens caindo no chiqueiro do sítio e conversas de Mirna com a pata Doralice são inesquecíveis!

Foto (Divulgação/TV Globo)

Candinho – Sérgio Guizé, em “Êta Mundo Bom”
Criado por uma família numa fazenda no interior de São Paulo, ele não fazia ideia de que era filho de uma milionária, Anastácia (Eliane Giardini). Apaixonado por Filomena (Débora Nascimento), filha mais velha da família que o criara, Candinho era alvo da cobiça da bela Sandra (Flávia Alessandra), sobrinha de Anastácia que queria tomar posse da fortuna da tia.

Foto (Divulgação/TV Globo)

Petruccio – Eduardo Moscovis, em “O Cravo e a Rosa”
Homem rude do campo, dono da fazenda Santa Clara e vive da fabricação de queijos. Como herdou a propriedade do pai em condições precárias, luta com muita dificuldade para mantê-la. Impulsivo, vivia às turras com Catarina (Adriana Esteves). Mas apesar das brigas, a paixão do fazendeiro ardia como fogo e ele casou com ela, filha mais velha do banqueiro da cidade.

Foto (Divulgação/TV Globo)

Cunegundes – Elizabeth Savalla, em “Êta Mundo Bom”
Teimosa, repetia sempre aos berros que seu nome é Cunegundes, toda vez que a chamavam pelo apelido de “Dona Boca de Fogo”. Fascinada por uma vida de luxo, ela também estava sempre de olho numa boa comida.

Foto (Divulgação/TV Globo)

Mafalda – Camila Queiroz, em “Êta Mundo Bom”  
A doce e curiosa caipira passou a novela inteira querendo saber como era o “cegonho” que ficava dentro das calças dos rapazes. Passou a novela toda dividida entre o amor de Romeu (Klebber Toledo) e Zé dos Porcos (Anderson di Rizzi). Sua confidente era a porca Lili.

Foto (Divulgação/TV Globo)