Quanto mais Vida, Melhor! às 11:54

Quanto Mais Vida, Melhor: Conheça o diretor Allan Fiterman

Diretor Alan Fiterman

Divulgação/TV Globo

Nascido na capital de São Paulo, Allan Fiterman, de 49 anos, começou sua carreira em Los Angeles, nos Estados Unidos, trabalhando em vários setores da indústria cinematográfica. Fez em curtas-metragens, como fotógrafo, até dirigir seu primeiro longa, “Living the Dream” (2006), filmado no exterior e estrelado por Sean Young e Danny Trejo. De volta ao Brasil, fez “Embarque Imediato” (2009), com Marília Pêra e Jonathan Haagensen, e se destacou pela direção de “Berenice Procura” (2017).

Na Globo, foi diretor do especial “Natal do Menino Imperador” (2008), dirigiu o remake de “O Astro” (2011), além das novelas “Ciranda de Pedra” (2008), “Tudo Novo de Novo” (2009), “Cheias de Charme” (2012), “Geração Brasil” (2014), “Verdades Secretas” (2015), produção consagrada com o Emmy Internacional de Melhor Novela, “A Força do Querer” (2017), e o seriado “Louco por Elas” (2012).

Allan foi diretor geral da série “Mister Brau” (2015) e da novela “O Sétimo Guardião” (2018). “Quanto Mais Vida, Melhor!” marca a estreia de  Fiterman como diretor artístico e ele destaca o conceito e sua expectativa para a novela.

“‘Quanto Mais Vida, Melhor!’ é despretensiosa, mas repleta de simbologias. O amor e desamor, afeto, compaixão, drama e humor são elementos que nos direcionam para contar uma história sobre erros e acertos. Podemos ser agentes transformadores das nossas próprias histórias, e quando nos colocamos no lugar do outro é quando genuinamente crescemos e aprendemos. Empatia  pelo próximo não está no discurso, mas nas nossas ações diárias”, disse.

“E a ideia é que nossos quatro protagonistas aprendam e se transformem durante essa jornada. O certo é que vamos levar o mais puro entretenimento para o público através de uma narrativa leve, musical, com muito romance, humor e um pouco de drama… já que sem drama não tem novela”, descreveu.

O diretor artístico explicou um pouco sobre a linguagem da obra e o uso da computação gráfica na finalização dos capítulos.

“Há um investimento nesse sentido. Há um acidente de avião no primeiro capítulo. Nosso set era um galpão todo de chroma, só com as cadeiras do avião. Então criamos esse avião todo em 3D, inclusive paredes e teto. Eu nunca poderia ter feito isso dentro do avião real porque a câmera precisa de uma movimentação em 360º”, contou Allan.

Ele detalhou como as imagens foram captadas: “Usamos uma câmera robótica, que passa por todos os protagonistas, apresenta os quatro, em um plano sequência, rodando com eles, até a queda do avião. O cenário do céu, a Morte, e toda aquela ideia de fazer ela numa proporção muito maior é realizada plano a plano”.

O recurso não se limitou à sequência do acidente aéreo: “Usamos também no futebol. A gente fez um estudo das cenas de futebol com o Vladimir usando uma bola virtual. Porque ele tem que ser um craque, e o Vladimir é um ótimo ator, mas não é um jogador de futebol. Ainda assim, teve aulas de futebol,  em cena, veremos uma edição que reúne passes feitos por ele mesmo, alguns com dublês alguns e outros com a bola virtual. Além disso, muito da linguagem que vemos em ‘Euforia’ e em outros filmes de telas de celular e mensagem de texto nós resolvemos absorver na obra para deixar a tela dividida. Depois da pandemia, as pessoas se acostumaram com em ver a vida assim. Essa linguagem de colocar mensagens passando na tela, o que aparece no celular do personagem… Isso é parte também da linguagem da novela.  

Allan Fiterman comentou ainda sobre a trilha sonora da trama de Mauro Wilson. Os videoclipe terão destaque.

“Essa é uma novela pop. Teremos uma novidade: toda semana vai ter um clipe diferente com os quatro protagonistas cantando. Toda semana vai ter uma música diferente, com os quatro em seus momentos distintos interpretando a mesma canção”.

“Temos ainda o núcleo da boate Pulp Fiction, que conta com uma banda, em que o Jaffar Bambirra e a Ana Hikari cantam, depois a Valentina Herszage passa a cantar com eles também. Um karaokê por onde todo o elenco da novela vai passar ao longo dos capítulos. Além de uma dupla de irmãos gêmeos, o André e o Carlos Silberg, que está genial, fazendo muitas dancinhas”.