Opinião às 19:33

Doce 22: Luísa Sonsa entrega lado mais frágil em “Penhasco”

Luísa Sonza com figurino e cigarro na mão para o lyric video de Penhasco

Reprodução/Instagram

Luísa Sonza lançou o “Doce 22” bem na viradinha do dia para seu aniversário de 23 anos – 18 de julho – dando adeus aos 22 anos em grande estilo. Mas o disco estava planejado para chegar antes ao mercado, o que foi impedido por um momento delicado na vida dela e que envolveu o ex, Whindersson Nunes.

Ao lado da nova namorada, Maria Lina, o humorista esperava o primeiro filho. No entanto, houve um parto precoce e a morte prematura do bebê. Isso, claro, deixou o casal arrasado, porém, internautas, reverteram a situação para uma rede de ódio gratuito sem cabimento, atacando Luísa, que já sentia-se fragilizada desde o fim do casamento, em 2020.

Na época, ela e Whindersson passaram por turbulências e a loira viu-se no olho do furacão, com dedos digitais apontados contra o seu rosto e diversas acusas sem provas.

Veja +: Entenda as indiretas em canções de Luísa Sonza e Whindersson Nunes

Porém, a vida seguia seu curso e o trabalho não parava. A gaúcha de Tuparendi, noroeste do Rio Grande do Sul, chegou a tirar um tempo ao lado de Vitão, seu namorado, no México, a fim de descansar, espairecer, cuidar da saúde mental. Ela até mesmo largou a internet para poder focar nela mesma.

Só que as responsabilidades e a vontade falaram mais alto, como a própria Luísa disse em coletiva de imprensa, da qual o OFuxico participou, antes de lançar o “Doce 22”.

“Essa pausa foi só um respiro, porém, quando voltei ainda estava tudo do mesmo jeito. Minha cabeça estava do mesmo jeito, trabalho acumulado. A pausa foi importante, mas sinto que não foi suficiente e eu não sei o que será suficiente”, admitiu.

Veja +: Vitão sai em defesa de Luísa Sonza, após ataques

Um reflexo disso foi a recente treta com os fãs. Isso os preocupou e houveram pedidos para que ela voltasse a focar em seu bem estar, que era cedo para retomar a vida online 100%.

“Não pude me recuperar ainda, não consegui lidar, mas uma hora eu precisava continuar. Tenho um monte de contrato para cumprir, uma equipe grande para manter, minha família para cuidar… Precisava seguir”, falou.

E a prova dessa tamanha fragilidade e vulnerabilidade da Luísa Sonza veio com força em “Penhasco”, a 11º faixa do álbum. Claramente um desabafo sobre o relacionamento com Whindersson, a jovem musicista não poupou sinceridade ao colocar na composição os seus sentimentos mais profundos a respeito deste capítulo em sua trajetória. É uma carta aberta de amor.

“Estranho mesmo é te ver distante / Botaram o nosso amor numa estante […] Eu tive que desaprender / A gostar tanto de você”, canta ela.

Apesar de ser algo pessoal, atraiu o público. Seja pela representação ou pela “polêmica”, a certeza é que “Penhasco” é um hit. Na quinta-feira, 22 de julho, a faixa chegou ao 2º lugar da parada das mais ouvidas no Spotify, acumulando 703.602 streams em 24 horas, só atrás das músicas de João Gomes.

Não é um single, vem crescendo de forma orgânica e mostra que a sensibilidade de Luísa Sonza é o que a faz ainda mais pop.

Veja +: Luísa Sonza participa do ‘Fantástico’ e fala dos haters

CONFIRA A LETRA DE PENHASCO:

Sabia que a queda era grande
Mas tive que pular
Queria que a gente fosse mais alto
Quando segurei sua mão você soltou a minha
E ainda me empurrou do penhascoE te dizer te amo agora é mais estranho
Estranho mesmo é te ver distante
Botar o nosso amor numa estanteEu tive que desaprender a gostar tanto de você
Porque ‘cê faz assim?
Não fala assim de mimE eu sei que chora
Não finge que não viveu toda nossa história
Meu Deus eu pedi tanto pra não ir embora
Mas tenho que seguir meu caminho agora
E eu sei que chora
Não finge que não viveu toda nossa história
Meu Deus eu pedi tanto pra não ir embora
Mas tenho que seguir meu caminho agora’Cê sabe bem quem eu sou
Sabe que se chamar eu vou
‘Cê sabe bem quem eu sou
Sabe que se me chamar eu vouE eu não sinto raiva, eu não sinto nada além
Do que você já sabe
Pior que ‘cê sabe bem, meu bem
O tanto que eu tentei
que eu não sinto raiva, eu não sinto nada além
Do que você já sabe
Pior que ‘cê sabe bem, meu bem
O tanto que eu tenteiEu tive que desaprender a gostar tanto de você
Porque ‘cê faz assim?
Não fala assim de mimE eu sei que chora
Mas tenho que seguir o meu caminho agoraE eu sei que chora
Não finge que não viveu toda a nossa história
Meu Deus eu pedi tanto pra não ir embora
Mas tenho que seguir meu caminho agora’Cê sabe bem quem eu sou
Sabe que se chamar eu vou
‘Cê sabe bem quem eu sou
Sabe que se me chamar eu vou

LADO A

Dividido entre “lado A e lado B”, o “Doce 22” passeia pela mente de Luísa Sonza. Enquanto a primeira parte temos assuntos como sexo e dinheiro, a segunda é formada pelas emoções mais genuínas que envolvem tristeza. Mas o lado A não é menos importante, não!

Pode parecer fútil, porém, quantos cantores homens e gêneros musicais por aí não foram construídos com base em composições que exaltam a ostentação, a coleção de mulheres, os carros importados? “Contando os plaque de 100, dentro de um Citroën / Aí nóis convida, porque sabe que elas vêm”, rima MC Guimê no hit “Plaquê de 100”.

A diferença é que com a mulher o tratamento ainda é retrógrado. É o que a cantora mostra em “INTERE$$EIRA”, faixa que abre o disco e impacta com a primeira frase: “Puta, vagabunda, interesseira”. A sequência completa os julgamentos enfrentados desde o namoro com Whindersson Nunes até o término.

“Eu fazendo meu trabalho e escutando só besteira
Sem talento, sem graça, forçada
Como é me ver com milhões dizendo que eu não valia nada?”

Mais um vez vemos a vulnerabilidade da loira, entretanto, de uma maneira incisiva, com certa raiva e sem medo de abaixar a cabeça.