Polêmica às 15:26

Britney Spears é vista pela primeira vez após depoimento sobre tutela

Britney Spears dirige o carro na companhia do namorado

The Grosby Group

Britney Spears foi fotografada dirigindo o próprio carro, pela primeira vez, desde que prestou depoimento contra o pai, Jamie Spears, em audiência por sua tutela.

A cantora não estava sozinha! E sim, na companhia do namorado, Sam Asghari. Ah, e o segurança também estava com os pombinhos, no banco de trás.

Vale destacar que partiu da própria artista americana o desejo de falar diretamente à Corte. Ela não costuma comentar sobre o assunto de forma direta e pública.

No ano passado, Spears entrou com um pedido para remover seu pai da tutela e dar poder exclusivo sobre seu patrimônio a uma instituição financeira. Seu advogado, nomeado pelo tribunal, disse que ela tinha “medo” do pai. Ela questionou a aptidão dele em controlar sua carreira diversas vezes.

Veja+: Britney Spears diz que família e tutores a impedem de engravidar

Saiba mais

De acordo com o jornal The New York Times, o primeiro pedido de remoção da tutela foi em 2014. Na época, a os advogados apresentaram uma lista de motivos para que Jamie deixasse de ter o controle sobre a vida de Britney Spears. Entre eles, estavam o consumo de bebida, comportamento e uma “mesada semanal” que a cantora recebia.

Anos depois, a cantora chegou a firmar que sentia que “a tutela se tornou uma ferramenta opressora e de controle sobre ela”, segundo um investigador do tribunal em relatório de 2016. Nos documentos, Britney também informou que queria que a tutela fosse encerrada o mais rápido possível.

“Ela está ‘cansada de ser explorada’ e disse que é ela quem trabalha e ganha dinheiro, mas todos ao seu redor estão em sua folha de pagamento”, destacou o investigador.

A cantora ainda afirmou que o pai estava “obcecado” e controlava quem podia ser seu amigo ou não, quem ela namorava e até a possibilidade de uma reforma na cozinha de Britney. Os documentos asseguram que a artista vivia “com muito medo”, e que se cometesse qualquer erro, as consequências eram “muito severas”.