Polêmica às 10:00

Futebol vira caso de polícia: Gabigol, Neymar, e outros na mira das autoridades

Neymar, Gabigol, Cristiano Ronaldo

Reprodução/Instagram

O futebol normalmente é ligado a entretenimento, prática de esportes, campeonatos, mas muitas vezes vai parar nas páginas policiais. Isso acontece quando jogadores, ou até dirigentes, se envolvem em polêmicas extra-campo.

Mais recentemente, tivemos alguns casos de nomes conhecidos por todos, como Gabigol, Neymar, Cristiano Ronaldo ganharam manchetes longe das páginas de esportes. Com isso, o OFuxico fez uma lista de episódios que transcenderam o futebol e viraram casos de polícia.

Gabigol no cassino

Gabigol no Flamengo
Gabigol comemorando gol do Flamengo (Reprodução/Instagram)

No dia 14 de março deste ano, Gabigol, do Flamengo, foi pego em um cassino clandestino na zona Sul de São Paulo. O caso deu a maior repercussão pelo fato dele ter descumprido o distanciamento social durante a quarentena em razão da pandemia de coronavírus.

Porém, o jogador acabou se livrando de problemas maiores ao aceitar o acordo de transação penal, proposto pelo Ministério Público. Com isso, o atleta pagou R$ 110 mil e a Justiça extinguiu o processo de crime contra a saúde pública que ele respondia.

Arboleda e David Neres em festa clandestina

Outra situação envolvendo jogadores que foram parar na delegacia foi com Arboleda, do São Paulo, e David Neres, do Ajax. Os dois jogadores foram pegos em uma balada clandestina na Zona Leste de São Paulo, no final do mês de maio.

Arboleda e David Neres, funcionários e testemunhas foram levados para uma delegacia e prestaram depoimento.

O jogador do São Paulo, inclusive, foi multado pela diretoria do clube.

Neymar denúncia de assédio

Neymar posando para foto
Neymar posando para foto com camisa do PSG (Reprodução/Instagram)

Depois de quase dois anos da acusação de assédio sexual por Najila Trindade, no mês de maio, Neymar voltou a ter problemas na Justiça. O jogador foi acusado mais uma vez de assédio sexual por parte de uma funcionária da Nike.

Hilary Krane, conselheira geral da Nike, afirma que a empresa encerrou contrato com o craque, em 2020, por ele não querer cooperar na investigação de abuso sexual. Neymar teria forçado uma funcionária da empresa a fazer sexo oral nele.

No entanto, o jogador se manifestou nas redes sociais sobre o ocorrido e se defendeu:

“Não me deram a oportunidade de me defender. Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida. Eu nem a conheço. Nunca tive nenhum relacionamento. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor. Essa pessoa, uma funcionária, não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido”, disse.

Cristiano Ronaldo pedindo arquivamento de processo de assédio

Cristiando Ronaldo posando para foto em escada
Cristiano Ronaldo (Reprodução/Instagram)

Cristiano Ronaldo também é um dos jogadores que já passou por maus bocados com a Justiça. Em 2009, ele foi acusado de estupro pela modelo Kathryn Mayorga.

Porém, Ronaldo pagou quase R$ 3 milhões. após as partes entrarem em acordo na época.

Sobretudo, no ano de 2018, Kathryn Mayorga alegou que Cristiano Ronaldo assinou o acordo para evitar o surgimento novas provas e pediu a reabertura do processo. A partir disso, a modelo passou a exigir uma indenização de aproximadamente R$ 400 milhões.

No entanto, Cristiano Ronaldo mantém o discurso de que é inocente e, no início de junho deste ano, seus advogados pediram que o processo fosse arquivado.

Presidente da CBF acusado de assédio sexual

Quem acompanhou o fato da Copa América acontecer ou não no Brasil e se a Seleção Brasileira disputaria o torneio, soube do afastamento do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Rogério Cabloco.

Depois da acusação de assédio sexual e moral de uma funcionária da CBF, ele foi afastado por 30 dias por uma determinação da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro.

Todavia, ele se declara como inocente e nega as acusações.

“A CBF informa que recebeu na tarde deste domingo, 6, decisão da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro suspendendo temporariamente (pelo prazo inicial de 30 dias) o Presidente Rogério Caboclo do exercício de suas funções. Seguindo o Estatuto da entidade, toma posse interinamente, por critério de idade, o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima. A decisão é sigilosa e o processo tramitará perante a referida Comissão, com a finalidade de apurar a denúncia apresentada.”