Polêmica às 10:50

Renato Teixeira, parceiro de Sérgio Reis, se manifesta após polêmica com cantor

Renato Teixeira e Sérgio Reis durante show

Reprodução/Instagram

Nos últimos dias, o cantor Sérgio Reis esteve em meio a uma polêmica. O artista teve áudios vazados em que ele disse que queria o impeachment de ministros do STF e isso acabou pegando, algo que até o fez chorar.

Diante de tudo isso, Renato Teixeira, que não forma dupla com Sergio Reis, mas é um grande parceiro na música dele, se manifestou nas redes sociais, mesmo sem citar o artista.

“A democracia é um bem conquistado a duras penas. A música é uma arte democrática. Portanto, jamais usarei o meu prestígio para tentar usurpar o nosso sistema democrático”, escreveu o compositor.

VEJA TAMBÉM

Após áudio polêmico, Sérgio Reis grava vídeo e cai no choro

Guarabyra ironiza Sérgio Reis e desiste de gravar com o sertanejo

Sérgio Reis explica que não é líder de manifestação no dia 7 de setembro

Tal declaração fez com que ele ganhasse elogios de vários outros artistas, como Lucio Mauro Filho, Letícia Sabatella, Priscila Sol, o apresentador Zé Luiz, entre outros.

Amizade antiga

Vale lembrar que Sérgio Reis e Renato Teixeira são amigos de muito tempo e já até gravaram dois álbuns juntos “Amizade Sincera I e II”, em 2010 e 2015, este último que até rendeu um prêmio no Grammy Latino de Melhor Álbum Sertanejo.

No ano de 2020, durante a pandemia, Renato Teixeira e Sergio Reis chegaram a fazer lives juntos e até estavam com alguns shows marcados.

A Polêmica

Sérgio Reis, 81 anos, foi às lágrimas ao falar da repercussão de um áudio que tomou as redes sociais, nos últimos dias, com críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Durante uma live na web, o artista afirmou que sua intenção era que os pedidos de afastamento de ministros do STF fossem apenas estudados pelo senado.

“Não pedi para que acabasse com nada. Eu pedi que fizessem… que esses impeachments fossem estudados. Vamos fazer. Se o povo não for para as ruas no dia 7 de Setembro, Brasília não vai fechar. Então não vai adiantar nada. O Exército não pode fazer nada, o presidente não pode fazer nada e nós não podemos fazer nada. Estamos fazendo a nossa parte”, disse.

Sérgio ainda contou que sua esposa também tem ficado abalada e que tem “chorado bastante” com o mal-entendido.

No áudio, que se espalhou pelas redes sociais, o artista afirma que, além dele, caminhoneiros e produtores de soja fariam um ato em Brasília. O objetivo seria a aprovação do voto impresso,  além do afastamento de ministros do STF.

Recentemente, em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, Sérgio negou que esteja organizando a paralisação dos caminhoneiros marcada para Dia da Independência do Brasil.

“Eu sou uma pessoa que tem conhecimento profundo sobre o que acontece no país referente aos caminhoneiros, como eles são muito ligados e todos eles ouvem os meus programas, me falaram: ‘Sergio, dá uma força’. E eu falei: ‘Tudo bem, vamos lá’. Não sou eu o líder”, afirmou o artista.

“O que nós queremos é que todos esses impeachments sejam estudados e analisados e eles não fazem nada. Então, agora nós vamos pedir. Eu só estou nessa briga porque eu devo ao povo”, explicou o ex-parlamentar.

“Falam que o povo precisa comer, o povo precisa de saúde, o povo precisa que devolvam o dinheiro que roubaram”, apontou Sergio Reis.

VEJA +:

Ilha Record: Exploradoras se revoltam com manipulação de Pyong

MasterChef: Cristina é eliminada e diz deixar duas inimizades

The Masked Singer Brasil: Renata Ceribelli é a segunda fantasia revelada

The Masked Singer Brasil: Tais Araújo diz que Fiuk é o jovem mais velho da TV