Polêmica às 14:00

Sarah relembra polêmica de Rodolffo e João no BBB21 e dispara: ‘Exagero’

sarah-andrade-joao-luiz-rodolffo-no-bbb

Reprodução/TV Globo/Youtube

Eita! Sarah Andrade movimentou as redes sociais ao fazer um comentário polêmico sobre os episódios do “BBB21”. A oitava eliminada do reality show da Globo, abriu o jogo sobre a acusação de racismo de João Luiz a Rodolffo, depois do sertanejo comparar o cabelo do professor de geografia com a peruca do “Monstro” do programa, um Homem das Cavernas.

Em entrevista ao “Irmãos Dias podast”, a consultora de marketing digital confessou que considera a repercussão da situação, cinco meses após o fim do programa, como um ‘overreact’. Ou seja, traduzindo ao pé da letra, como uma ‘reação exagerada’ por parte de João Luiz.

“É meio delicado falar isso aí porque eu gosto dos dois. Olhando de fora, porque lá de dentro a gente sabe que a pressão é muito maior e foi até na semana seguinte que eu saí do programa. Então, eu, olhando de fora, acho que aconteceu como a gente fala em inglês: um ‘overreact’. Acho que balançou as estruturas sem tanta necessidade, porque não achei que foi feito de maldade. Não achei que foi um caso de racismo, mas eu entendo o outro lado que ele já estava apanhando da mesma pessoa por outros motivos dentro do jogo”, disse a loira.

Sarah ainda afirmou que acredita que a relação de altos e baixos de Rodolffo com João Luiz no confinamento acabou sendo o fator que motivou o professor de geografia expor a fala racista do cantor, ao vivo, durante uma dinâmica de jogo da discórdia.

“Aí, vai virando uma bola de neve e qualquer coisinha que aconteça pra você vai virar uma grande coisa. Às vezes, pra uma mulher quebrar uma unha pode ser uma coisa muito grave e pro outro tem que quebrar uma perna, sabe? Então, depende muito da pessoa, da pressão psicológica. Então, entendo muito dele ter sentido muito como uma agressão, de certa forma, a pessoa dele, porque já tinham acontecido outras coisas no jogo e vai virando aquela bola de neve. Mas acho que naquele momento, naquela situação, não tinha sido feito por maldade, não”, completou.

VEJA TAMBÉM:
Sarah Andrade pede saída de Bolsonaro e vira assunto na web
Namoro? Sarah Andrade e Lucas Viana realizam procedimentos estéticos
Após polêmicas, Sarah Andrade incentiva a vacinação contra Covid-19: “É importante e salva vidas”

CONFIRA O VÍDEO COMPLETO DA PARTICIPAÇÃO DE SARAH NO “IRMÃOS DIAS PODCAST”:

RELEMBRE O QUE ACONTECEU

O racismo virou debate no BBB e inquérito policial após comentário de Rodolffo sobre cabelo de João Luiz. O cantor comparou o cabelo do professor de geografia a cabeleira desgrenhada da fantasia do castigo do monstro e sua fala infeliz gerou polêmica dentro e fora do jogo.

Em sua última semana, durante o Castigo do Monstro, Rodolffo e Caio tiveram que usar uma peruca de homem das cavernas. Ao colocar a peruca, Roldoffo disse: “A gente está com o cabelo quase igual ao do João”.

João levantou a questão durante o Jogo da Discórdia, dinâmica realizada toda segunda feira no programa exibido ao vivo na Globo. A indignação do brother juntou-se a um choro compulsivo de Camilla de Luca e o debate sobre racismo ganhou as redes sociais, programas de televisão, rádios, grupos de whatsapp.

No dia seguinte, antes de anunciar a eliminação de Rodolffo, Tiago Leifert pediu a palavra para uma conversa “de branco pra preto” com os participantes e país parou para ouvir.

“O tema desse paredão foi o que vocês propuseram até pra nós, acontece todo ano, é um tema repetido aqui no Big Brother, é um clássico, que é a confiança. Foi um assunto que vocês conversaram nesses últimos dias. Já falei com vários times sobre isso de Big Brother. A gente é programado pra confiar nas pessoas.”

“Quando a gente chega num lugar novo a gente quer fazer amigos, quando a gente entra em uma escola nova a gente quer conhecer todo mundo e fazer amigos, quando a gente entra num trabalho novo a gente quer ficar amigo das pessoas, quer almoçar com elas, que curtir, ir pra o bar e se divertir. É a nossa posição padrão, é confiar, é se abrir. Deve ser porque há milhares de anos atrás, nossos antepassados perceberam que eles se reunissem em tribos era mais fácil sobreviver.”

“Quando você entra no Big Brother, especificamente, a posição padrão é não confiar. É muito difícil confiar aí dentro, vocês entram já super assustados. E aí esse conflito entre confiar e não confiar, criam em vocês paranoias, que é o estado de alguns de vocês nesse momento. Vocês pegam informações aleatórias, juntam e tomam uma atitude. Veem uma coisa aqui, pescam uma frase do apresentador aleatória e tentam chegar numa conclusão.”

“E às vezes você até acerta algumas coisas, só que você acertou meio que na sorte, foi um chute e você acha que não, que ‘agora entendi o rumo do jogo’, mas o rumo do jogo nem a gente sabe. A gente ver o que o que tá acontecendo hoje, mas o rumo é surpreendente. Eu diria que a formação desse paredão do jeito que foi, é surpreendente.”

“E em cima de tanta pressão, paranoias e informações aleatórias. Dá pra confiar mesmo em você? Dá pra confiar no que você tá vendo, sentindo, enxergando? Dá pra confiar na sua opinião? Dá pra confiar?”.