Realeza às 10:00

Redes sociais da família Real apagam fotos do Príncipe Andrew

Príncipe Andrew com cara de sério
Foto: Reprodução/YouTube

A Rainha Elizabeth II não está tendo tranquilidade nos últimos anos do seu reinado. Os problemas em sua família estão longe de terminar, com o Príncipe Andrew manchando o nome da realeza britânica com as acusações de abuso sexual.

Depois de ser despojado de seus títulos militares, e ser colocado para escanteio, proibido até de visitar a monarca inglesa, Andrew perdeu suas redes sociais.

Segundo o jornal Mail Online, a Rainha Elizabeth mandou apagar qualquer vestígio do filho das redes sociais da realeza, e eliminar a conta dele no Twitter e no Instagram, @thedukeofyork.

Veja+: Príncipe Andrew fala sobre a morte do pai, o Príncipe Philip

“As redes sociais da família real apagaram todas as fotos com o príncipe (…) isso aconteceu para mostrar as mudanças do anúncio recente do Palácio de Buckingham”, afirma uma fonte.

O site oficial da monarquia britânica também foi atualizado para se distanciar do segundo filho da rainha, que pode enfrentar um processo civil nos Estados Unidos como ‘cidadão privado’.

Veja+: Sarah Ferguson defende o príncipe Andrew

ENTENDA O CASO

Príncipe Andrew foi acusado de abuso sexual por Virgina Giuffre, que se pronunciou sobre o caso pela primeira vez em entrevista ao programa Panorama, da rede BBC. Ela afirmou haver sido traficada para Londres aos 17 anos em 2001 somente para ter relações sexuais com o filho da rainha Elizabeth. Foi levada para a Inglaterra por Ghislaine Maxwell, ex do bilionário empresário e financiador Jeffrey Epstein, amigo de Andrew.

“Esta não é uma história de sexo sórdida. Esta é uma história sobre ser traficada. Esta é uma história de abuso e uma história da realeza de vocês (…) Não durou muito tempo. Foi nojento. Ele não era mau ou nada. Mas ele se levantou e disse: ‘Obrigado’, e saiu. Eu fiquei sentada na cama, horrorizada, envergonhada e me sentindo suja. Eu não esperava isso da realeza. Eu não esperava isso de alguém que as pessoas admiram e se espelham na família real”.

Jeffrey Epstein foi acusado, em 2005, de abuso sexual de uma garota de 14 anos de idade. A investigação descobriu mais 33 vítimas de abuso. Ele foi condenado em 2008 e se matou na prisão enquanto aguardava o julgamento por tráfico sexual, em agosto de 2019.

LONGE DA VIDA PÚBLICA

Na época da denúncia, Príncipe Andrew anunciou seu afastamento da vida pública por meio de um comunicado:

“Ficou claro para mim, nos últimos dias, que as circunstâncias em relação à minha antiga associação com Jeffrey Esptein se tornaram uma grande perturbação ao valioso trabalho feito por caridades e instituições que tenho orgulho em apoiar. Portanto, perguntei à Sua Majestade se poderia me afastar dos compromissos públicos pelo futuro próximo, e ela me deu sua permissão. Continuo firmemente a me arrepender de minha mal pensada associação com Jeffrey Epstein. Seu suicídio deixou muitas perguntas sem resposta, particularmente para suas vítimas, e eu simpatizo demais com todos que foram afetados e buscam um tipo de encerramento para a questão. Posso apenas esperar que, com o tempo, elas possam refazer suas vidas. É claro, estou disposto a ajudar qualquer tipo de agência da lei com suas investigações, se necessário”, disse.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS
BBB22: Quem deve ser eliminado no primeiro paredão?
BBB22: “Não vou aguentar ficar aqui”, chora Maria
Robert Pattinson pode estrelar novo filme do diretor de Parasite

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!