Realeza às 11:11

Rei Charles não pensa em abdicar, mas pode tornar William príncipe-regente

Príncipe William com o pai Príncipe Charles
Reprodução/Instagram/@clarencehouse

A imprensa inglesa tem especulado sobre a possível abdicação do trono por parte do Rei Charles III. Mas uma fonte próxima ao monarca de 75 anos assegura que ele não pretende deixar seu posto tão cedo.

Rei Charles fala em ‘coragem’ após diagnóstico de câncer

Evidentemente um diagnóstico de câncer pode ser assustador, porém como a descoberta foi cedo, os prognósticos são bastante favoráveis para uma recuperação completa.

A Rainha Elizabeth II reinou por 70 anos antes de falecer aos 96 anos, mas não está claro se o Rei seguirá seus passos ou abdicará do trono em favor do Príncipe William.

Receba as Notícias de OFuxico em seu celular

Em novembro do ano passado, rumores crescentes nos círculos reais sugeriam que o monarca estava pensando em abdicar após cinco anos no trono.

“Acho que Charles sente que é seu dever servir, depois de ter esperado tanto tempo”, justificou o autor real Clive Irving ao jornal “Daily Express” na época.

“Porém ele também sabe que é a pessoa mais velha a ser coroada”, compartilhou.

Saiba quem assume se Rei Charles III precisar se afastar do trono

“O acordo foi feito de que quando Charles tiver 80 anos, ele entregará o trono… Ele sabe que o príncipe William é um rosto muito mais apropriado para a monarquia do que ele.”

Mas, o que acontecerá se o rei Charles abdicar?

Se o rei Charles decidir renunciar, seu filho, o príncipe William, será o próximo na linha de sucessão e se tornará o próximo rei da Inglaterra.

Kate Middleton viajará a Sandringham com a família, após cirurgia

O príncipe George se tornaria então o próximo na linha de sucessão ao trono, com os membros restantes de sua família que o seguem avançando um lugar.

Porém, se Charles não quiser abdicar, mas decidir se afastar dos compromissos reais, ele pode nomear William como príncipe-regente.

Um príncipe-regente é quem governa uma monarquia no lugar, do rei, por exemplo, como resultado da incapacidade do soberano, por questões de saúde ou de ausência.

Notícias Relacionadas