A Fazenda às 02:23

O que esperar de A Fazenda 13 com cuspe liberado entre os peões?

Rodrigo Carelli diretor

Divulgação/Edu Moraes/Record TV

Direção do reality ignora regras básicas de controle a pandemia e perde a compostura e a responsabilidade ao liberar atitude vergonhosa e perigosa em tempos de pandemia.

A Fazenda 13 estreia nesta terça-feira, 14 de setembro, e tudo indica que desta vez a direção do programa vai apostar nos barracos em busca de audiência. Durante um bate papo com O diretor participou desse bate-papo com o publicitário, roteirista e humorista Antonio Tabet na plataforma Twitch, o diretor Rodrigo Carelli revelou que nesta edição do reality não será proibido cuspir nos coleguinhas de confinamento pois a atitude deixa de ser considerada uma agressão física:

“A guerra de cuspe deu uma dor de cabeça, era muito pesada. Mas não fugia da regra, porque a regra do programa é não poder fazer nada que fira a integridade física do outro”, afirmou.

Com esta nova postura da direção do programa o que se pode imaginar é que o bicho vai pegar nos momentos mais inflamados da competição.

A atitude de cuspir nos coleguinhas virou polêmica em 2013 graças as cusparadas de Andressa Urach contra seus desafetos Mateus Verdelho e Denise Rocha. Na época as atitudes da ex-miss bumbum foram duramente criticadas pelos fãs do programa e participantes. Na nova edição Monick Camargo também saiu cuspindo em Marcos Harter após desentendimentos.

A partir desta edição fica impossível prever o rumo das brigas, já que atitudes deste tipo liberadas pelos organizadores do reality. “Ficou um negócio meio lá e meio cá”, disse Carelli justificando que a liberação do cuspe foi decidida por não ferir a integridade física e sim a moral.

Sem fazer juízo de valores, uma reflexão se faz necessária: a prévia autorização para atos nojentos e ofensivos certamente vai render cenas polêmicas e pode até contabilizar um aumento de audiência à atração, mas quem quer ver esse tipo de coisa? Pra que liberar a desordem desta maneira?    

O absurdo maior dessa história toda é ver isso acontecer numa época em que o mundo luta contra uma pandemia assassina e uma doença cruel que tem como forma de transmissão mais comum a saliva. Rodrigo Carelli tentou se justificar garantindo que a emissora adotou atitudes preventivas, testando os participantes e membros da equipe:

“Todas as pessoas da equipe serão testadas periodicamente e usarão equipamentos de proteção. Além disso, evitamos o encontro de pessoas de diferentes departamentos. Os peões não terão contato com a equipe, apenas se encontrarão com a Galisteu em dias de eliminação e com o distanciamento necessário”.

Vamos falar francamente: alguém se contenta com esse tipo de explicação? Será que o negacionismo agora vai imperar nos ambientes de confinamento dos reality show? Tenha santa paciência, será que mais de 500 mil mortes registradas no Brasil não são suficientes para colocar limites na desenfreada briga por uns pontinhos de audiência? Esse povo não tem família ou amigos que já sofreram as consequências dessa doença?

Em momentos como este eu sinto vergonha alheia num grau doloroso, vergonha por saber que em meu país a ganância fala mais alto e a irresponsabilidade impera entre aqueles que têm nas mãos o poder de se comunicar diariamente com o publico e, ao invés de esclarecer a população, preferem confundir ainda mais. Que pena.