BBB às 09:03

BBB21: Rubinho passa a visão sobre Carine e Rui. Entenda!

Divulgação/TV Globo

A Força do Querer entra na reta final, na reprise especial do horário nobre da Globo, destacando momentos importantes para Carine e Rui. Os personagens vividos por Carla Diaz e Fiuk na trama de Glória Perez aparecem mais na história justamente no momento em que seus intérpretes ganham força no reality.

Ao passo que a amante do bandidão Rubinho (Emílio Dantas) leva uma coça das boas de Bibi Perigosa (Juliana Paes) e Rui se consagra como o banana da história (e não é que Carla deu o emoji de banana pro Fiuk antes do paredão falso?), na casa os dois brilharam na noite de terça-feira (09). Ela, por ter sido escolhida pelo público para voltar com tudo, ele pelo VT com Juliette, que dispensa comentários de tão perfeito que foi.

Longe do confinamento, Emílio Dantas não é diferente da grande maioria dos brasileiros e tem acompanhado o reality. O ator contou à colunista Patricia Kogut, do jornal O Globo, que tinha uma banda musical com Fiuk e relembrou histórias de bastidores.

“Convivi com ele mais do que com a Carla, apesar de eu e ela sermos do mesmo núcleo. Com o Fiuk eu encontrava mais porque tínhamos, nos bastidores da novela, uma bandinha: eu, ele, Papinha (o diretor Rogério Gomes), os técnicos de som tocavam trompete … Nos encontrávamos depois do estúdio para fazer um som”, revelou.  

Associação de Nordestinos move ação contra Globo e Karol Conká
BBB21: Carla Diaz não seja mansa e Arthur, afinal o que tu pensas?

Sem torcida 

Por conta de seus estudos com música e literatura, Emílio conta que é sua mulher, a atriz Fabíula Nascimento, quem o avisa que o reality vai começar.

“Estou achando o programa o maior barato. Fiuk é um baita artista, um cara incrível. Acho que ele está sendo ele mesmo ali. Carla também sempre foi uma menina educada, certa do que quer, precisa na comunicação. Os dois merecem estar ali e chegar longe”.

Apesar do carinho pelos colegas, Emílio optou por fazer a linha Glória Pires e preferiu não opinar para não se comprometer.

“Eu não tenho torcida declarada. Até porque tem outras pessoas bacanas ali dentro”, disse.