No Limite às 03:40

No Limite: ‘A Íris vivia reclamando de tudo, não era grata e era muito negativa’, diz Ariadna

Reprodução Globoplay

Tão logo terminou a exibição do terceiro episódio de “No Limite”, na TV Globo, Ana Clara comandou um bate papo com a eliminada Ariadna, no Globoplay. A primeira eliminada da tribo Carcará já estava bem cuidada e muito diferente a imagem que mostrou no programa.

“Recuperada, com a pele bonita, cabelo bem hidratado. Fiquei muito tensa assistindo. Principalmente as tretas. Mas não apareceu muito o que eu fiz dentro do grupo. Mas eu dei o meu melhor ali na convivência. Foi uma superação. Não cheguei no meu limite. Eu ultrapassei o meu limite”, disse ela.

Veja os principais trechos da conversa:

Votação

Ela reviu a votação e as justificativas de votos de seus ex-companheiros de tribo.

“Vi um comentário da Gleici na eliminação da Angélica que nem tudo é jogo as vezes é coração. E acho que tinham motivos parar votar na Íris, que vivia reclamando de tudo, não era grata, era muito negativa. Tive um problema na minha perna e parecia que eu tinha ovo nela. O meu erro foi ter concentrado muito nessa dor foi o que me atrapalhou. Dentro da convivência eu dei muito mais que muitas pessoas. Posso não ter rendido muito em função dessa dor. Mas o jogo não foi atrapalhado pela minha performance”, revelou.

A primeira

Ela comentou se esperava ser a primeira eliminada de sua tribo.

“Já imaginava. Tanto que não tentei falar de votos com ninguém. Já estava imaginando que seria eu mesmo, mas tinha um fundinho de esperança de ficar empatado com a Íris. A Paula estava com um pouco de ranço da Íris. O Viégas tava, o Chumbo tava e eu tava. Não sei os outros. Achei que teria um empate e depois a pessoa pensa com o coração, mas faz parte do jogo. Não fui mesquinha e não tentei puxar votos”, falou e comentou sobre o fato de estar sedentária ter sido um fator na escolha.

“Não sei quando machuquei minha perna, mas eu já fui fora de forma. Engordei 13 quilos na pandemia e minha perna estava mais pesada. Moro na Itália e lá a academia está fechada até hoje”, explicou.

Troca

Ana Clara perguntou se ela pudesse trocar, quem mandaria para a outra tribo.

“Tiraria a Íris e colocaria lá para tirar um pouco a paz deles”, revelou.

“E quem traria de lá?”, questionou a apresentadora.

“Gostaria de ter o Kaysar do meu lado. É uma pessoa que colabora muito, leve e alegre. Se daria muito bem no Carcará”, falou

Desentendimentos com Íris

A eliminada explicou sobre a confusão com Íris, que disse que ela roncava durante a noite.

“Eu não era única pessoa ali que roncava. E eu não ronco, eu fico gemendo. Fiz uma cirurgia nas cordas vocais há 10 anos atras, recentemente fiz uma rinoplastia e tive um problema de garganta que tive que mexer. Estou com zero agudo. Estou só com grave. Todo mundo roncava, mas ela só ficava em cima de mim”, revelou e continuou a falar sobre os desentendimentos das duas.

“Inclusive quando teve a primeira discussão eu falei: ‘A Íris sabia onde estava a lona’. Ela tinha dobrado. Acordei lesa, com chuva, o olho embaçado, naquele escuro e ela sentadinha com a bunda dela seca e ficava assim: ‘Ali Ariadna, na direita’. E ela gritava muito. Se ela tivesse levantado para pegar a lona não tinha dado toda a discussão que teve”, contou.

Ana Clara lembrou sobre o desentendimento que as duas tiveram sobre prostituição.

“Todo mundo sabe que passei por uma resignação sexual. Eu sou uma mulher hoje em dia. Aí contei a dificuldade que vivi, que fui expulsa de casa aos 16 anos. Não estava me fazendo de vítima. Estava contando situações que passei. E de repente a pessoa fala que eu tinha condições de fazer. Se estava ali dizendo que não tinha condições, como ela fala isso na minha cara.

São minhas experiências. Se você não quer escutar se retira. Se você está escutando não vai ficar debatendo um sofrimento que eu vivi. Ela não viveu na minha pele. É uma situação que muitas pessoas passam por isso. E eu luto muito por isso. Não é fazendo um Big Brother e um No Limite… A gente tem que ter a consciência de mudar a cabeça das pessoas e mostrar que nós precisamos da ajuda da sociedade.

E é muito fácil para uma pessoa cisgênera, branca, loira, de olhos verdes, que fez questão de dizer para todos lá que ganhou 1 milhão na Playboy, que foi apresentadora e tal… Eu, infelizmente tive algumas dessas oportunidades de maneira diferente: ela foi apresentadora por muitos anos e eu fui por um dia, ela ganhou ‘x’ lá posando nua e eu ganhei mil vezes menos. São realidades diferentes. A vida de uma mulher trans é muito difícil. Acho que na empresa dela não tem nenhuma pessoa trans trabalhando lá. Não fiquei atacando pedras porque ela errou e todo mundo erra. Gosto dela e se ela quiser aprender estou aqui para explicar a ela”, revelou.

Amizade com Paula

“Foi a pessoa que eu falei: ‘Acho que vou ter problemas com ela’. Ela tem aquela imponência nela, mas ela percebeu que estava um pouco dura e se moldou a cada um de nós. É uma das pessoas favoritas para ganhar esse jogo. É entre ela e o Chumbo. Ela ficou com muito medo de ter feito mal a mim por ter me puxado na prova. Falei: ‘Você está louca? Muito obrigado’”, explicou.

Amizade com Chumbo

“Amigo mesmo, um irmão. Começou quando ele e o Viégas me pegaram naquela prova da duna dos infernos e me carregaram. Eu e o Chumbo a gente teve uma conexão muito grande, porque eu via muito de mim nele e ele via um pouco de mim nele também. A gente gosta muito de aventuras, de explorar. Foi a pessoa que eu mais me conectei”, disse.

Derrotas

“Depois de tantas vitórias, porque acha que sua tribo perdeu as duas nesta semana?”, questionou Ana Clara.

“Acabamos nos concentrando muito na prova de Imunidade e deixou pra lá a prova de Privilégios. E o que foi errado. A gente tinha que estar focado em ter ganho todas. O Zulu era o fortão e a gente achou que ele ia ficar uma semana lá. Depois ele disse que tinha o problema de circulação. Acho que tinha que ter passado a bola para Paula. Foi um erro do Zulu. O Gui também falou que tinha problema de tremedeira. Foi falta de organização. Tentei dar o melhor de mim. Nas provas que perdemos tenho certeza que não foi culpa minha”, disse.

Angélica

Angélica, eliminada na semana passada, também participou rapidamente da conversa. Com visual diferente, ela lamentou a eliminação de Ariadna.

“Fiquei muito triste que você saiu. Vi que você tinha muitas ideias e ninguém estava te escutando. Essa questão de comunicação é muito importante. Eles julgaram muito a questão do físico, mas não escutaram que você tinha boas ideias. Via muito nisso em você lá. Eles pecaram nesse quesito aí. O cérebro é muito importante também. Te desejo o melhor”, revelou.

“Dei muitas ideias lá e acho que contribui. Fiz o meu papel dentro da tribo”, explicou a eliminada da semana.

“Assisti com muita dor no coração. Queria muito que dona Íris tivesse saído e preservado você lá dentro. Foi muito importante sua participação por ‘n’ motivos”, finalizou ela.

De visual novo, Angélica conversa com Ariadna

Prova da duna

Ariadna contou o perrengue que passou na primeira prova, onde passou apuros ao ter que subir a duna de areia para pegar sua bandana.

“Quando recebi o convite, fui pesquisar sobre os outros No Limite e a primeira coisa que vi foi essa prova. Falei: ‘Misericórdia, subir essa duna vai ser babado’. E lá na hora me posicionei de um lado que achei que a duna era mais baixa. Se fosse pelo meio acho que estava lá até agora tentando pegar a bandana. Foi muito desesperador e meio traumático”, relembrou.

Despedida

“Tive muito orgulho do que fiz. Saber da representatividade, apesar de não ser uma militante sei da importância da minha participação no programa. Foi a primeira mulher trans. Se bem que não gosto muito desse termo que parece um rótulo que colocam nas mulheres. Ser a primeira no BBB e a primeira no No Limite. Que isso inspire muitas mulheres para não desistir. Depois de 10 anos estou aqui de novo e isso é uma superação”, finalizou.

TUDO SOBRE "NO LIMITE 5"

No Limite: André Marques brinca sobre ‘perrengues’ no reality