Redes Sociais às 11:36

Ana Hickmann faz post sobre fé após pedido de divórcio, via Lei Maria da Penha, ser negado

Retrato Ana Hickmann
Reprodução/Instagram/@ahickmann

Na terça-feira, 28 de novembro, Ana Hickmann sofreu uma derrota na Justiça. O pedido de divórcio da apresentadora pela Lei Maria da Penha foi negado. A famosa pretende encerrar seu casamento o mais rápido possível com Alexandre Correa, com quem tem o filho Alexandre, de nove anos.

Em seu Instagram Stories, Ana mostrou que não se abalou com a situação e compartilhou uma mensagem de fé. “Deus não permite que as coisas aconteçam para bagunçar nossa vida. Tenha fé, o seu agir está fazendo as mudanças necessárias. Deus te fará vencer e te honrará. Ele já está preparando um propósito grandioso. Tenha paciência, todo processo exige tempo. Deus vai agir no momento certo”, estava escrito.

Ana Hickmann posta mensagem de fé – Foto: Reprodução/Instagram/@ahickmann

Além disso, Ana Hickmann compartilhou algumas fotos nas redes sociais e comentou um pouco sobre a nova fase da sua vida.

“Me reconhecendo, me reconectando e me reencontrando. É muito bom saber que não estou sozinha. Só quem já passou por tudo que estou vivendo sabe o quanto precisamos ser fortes e ter coragem de enfrentar monstros e demônios. Nossa luz nunca vai apagar”.

Pedido negado

Ana Hickmann enfrentou uma reviravolta em sua disputa judicial contra o ex-marido, Alexandre Correa, na terça-feira, 28 de novembro. A apresentadora, que acusa Correa de agressão física e má gestão de seu patrimônio, teve seu pedido para que o processo de divórcio fosse regido pela Lei Maria da Penha negado pelo juiz da 1ª Vara Criminal e de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Itu.

Como resultado, o processo foi encaminhado para a Vara da Família e Sucessões de Itu, sem a aplicação da celeridade prevista pela Lei Maria da Penha. O juiz fundamentou sua decisão, destacando a complexidade das questões financeiras envolvidas na separação.

O magistrado explicou que “as alegadas agressões representam apenas a “primeira faceta visível” de um processo mais amplo de deterioração, relacionado à quebra de confiança na administração conjunta de empreendimentos e bens”. O despacho também ressaltou “a competência específica da Vara de Família e Sucessões para lidar com questões de alta complexidade e especialidade, especialmente relacionadas à guarda e visitas ao filho menor do casal”.