Redes Sociais às 14:40

Bárbara Evans revela dificuldades no processo de inseminação

Barbara Evans fala de dificuldades no processo de fertilização in vitro

Barbara Evans fala de dificuldades no processo de fertilização in vitro

Desde o último dia 07 de junho, Bárbara Evans usa suas redes sociais para fazer relatos de seu processo de fertilização in vitro. A modelo tem endometriose – inflamação do endométrio que pode comprometer a capacidade reprodutiva da mulher – e por isso recorreu pelo método in vitro.

Na última segunda-feira, 28 de junho, a filha de Monique Evans surgiu nas redes sociais com o rosto bem inchado. Bárbara explicou que essa é uma reação ao processo de fertilização, iniciado na primeira semana de junho, para que ela seja mamãe.

Veja+: Bárbara Evans revela que o sexo do embrião será sorteado

“Estou com muita dor, foi muito difícil pra mim dormir essa noite, a gente fica sem posição, cansada, com falta de ar. Não é fácil”, começou ela.

“Não é algo que você pensa: ‘É só ter o dinheiro para fazer e vamos lá. Não é fácil, então eu não vou romantizar uma coisa que, é linda, mas tem as suas complicações e temos que superar”, continuou.

Em seguida, Bárbara Evans disse que além do inchaço e das dores, seu peso mudou. A mulher de Gustavo Theodoro afirmou que não tem mais roupas.

Veja+: Bárbara Evans faz revelação sobre filhos: ‘A gente pretende ter três ou talvez quatro’

“Eu estou com uma barriga de grávida, bem grande mesmo. As minhas calças não cabem em mim, de jeito nenhum, não passam pelo quadril. Estou usando calça 40 e não me pesei ainda, não tive coragem, por mais que eu me aceite e me ache linda assim”, afirmou.

“Creio que só quando a gente colocar o embriãozinho que eu vou me pesar pra ver quantos quilos eu engordei antes de realmente colocar o embrião, pra depois eu contar isso pra vocês. Não tenho mais roupas”.

A futura vovó Monique Evans incentivou a filha.

“Eu sei que não está sendo fácil. Todos estamos sentindo muito orgulho de você. Você está linda! Você já é uma super mãe! Espero ser uma boa avó”, escreveu.

Brasil no topo da fertilização

A fertilização in vitro (FIV) é um tratamento de reprodução assistida humana assistida que está cada vez mais em voga no Brasil. Dados de 2019 mostram que a técnica vem crescendo no Brasil ao longo dos anos. Nesse ano, foram realizados 43.956 ciclos de fertilização, o que representou um crescimento de mais de 800 ciclos em relação ao ano anterior, cerca de 2%. São Paulo lidera o procedimento, com 21.162 casos, o que representou 48% do total do país. Em segundo e terceiro lugares ficaram os estados de Minas Gerais (4.312) e Rio de Janeiro (4.095).

Com a pandemia do coronavírus, o cronograma dos casais que precisam de tratamentos para a infertilidade e outros de reprodução assistida precisou ser alterado. Por segurança, os profissionais da área suspenderam novos procedimentos, com exceção dos casos oncológicos e daqueles em que o adiamento do tratamento pudesse causar maior dano ao paciente ou até infertilidade irreversível, seja por idade ou comprometimento da reserva ovariana. 

Como acontece

Na fertilização in vitro a produção ovariana da mulher é estimulada para que haja mais óvulos em comparação à produção natural. Em seguida, os óvulos são captados através de uma punção guiada por um ultrassom transvaginal e fertilizados pelos espermatozoides em laboratório.

As chances de a fertilização in vitro dar certo estão diretamente relacionadas com a idade da mãe. Apesar da receptividade do endométrio da mulher e a qualidade do embrião produzido serem fatores importantes, a idade da paciente é determinante para o sucesso da fertilização de gametas. Por esse motivo, o procedimento é indicado também para os casos de idade avançada.

A própria Bárbara Evans nasceu através de fertilização in vitro. O pai da modelo, José Clark, não podia ter filhos. Nanda Costa, Karina Bacchi, Flávia Monteiro, Fátima Bernardes, Ana Hickmann e Carolina Ferraz, também recorreram ao procedimento.