Redes Sociais às 09:46

Padre Fábio de Melo revela talento do passado cantando pagode e causa!

Foto: Reprodução/ Instagram

Ah, os anos 90… Pagode em alta, grupos bombando e lá estava ele…. “Só no sapatinho”, Fábio José de Melo Silva não perdeu a onda e se aventurou no ritmo que deu fama a nomes como Alexandre Pires, Belo, Péricles, entre muitos outros. Se você não ligou o nome à pessoa, estamos falando do Padre Fábio de Melo. Ele mesmo!

O religioso começou a carreira musical cantando pagode e na quinta-feira, 12 de agosto, mostrou um surpreendente registro de seu momento cheio de suingue cantando a música “Amigo do Sol, Amigo da Lua”, de Márcio Brandão e Benito de Paula.

Veja +: Padre Fábio de Melo diverte a web com comentário sobre Juliette

O look pagodeiro total se destacou. O padre não abriu mão da característica correntinha no pescoço, roupa larga e coreografia ensaiada.

Cheio malemolência, estampas, passinhos ensaiados, quando eu ainda era um garoto que amava Raça Negra e Só pra contrariar, que usava roupas que tinham três vezes o meu tamanho. Um tempo feliz, de inícios”, escreveu na legenda.

Ele já era padre na época e integrava o grupo “Cantores de Deus”.

“Um tempo feliz, de inícios, cantando com os Cantores de Deus, o melhor grupo vocal da nossa amada música católica”, lembrou.

A PIADA VEIO PRONTA

Sempre muito gaiatão nas redes sociais, o Padre Fábio de Melo não escapou das piadas dos amigos e fãs. Evaristo Costa, com quem ele protagoniza brincadeiras hilárias na web, não ficou de fora.

“É o Vavá ali no meio?”, questionou, se referindo ao ex-vocalista do Karametade.

Marcos Mion foi outro que não deixou por menos.

“Meu Deus! Padre Salgadinho de Melo?! Imagina se esse vídeo cai na minha mão na época do ‘Piores Clipes?’ “, brincou o apresentador, fazendo o referência ao quadro que tinha na TV.

Fábio de Melo respondeu:

“Você acabaria comigo. Mas ainda dá tempo.”

Mulher de Belo, Gracyanne Barbosa questionou: “É pecado rir?”. O padre, então, a tranquilizou: “Não, pecado é não rir.”

O próprio Belo elogiou.

“Muito maravilhoso!”.

“Você estava todo na influência recebida”, brincou o padre.