Saúde às 20:00

Saiba como é o tratamento de Preta Gil em casa, após remissão do câncer

Preta Gil fazendo exercício em casa
Reprodução/Instagram @pretagil

Há três semanas em casa, Preta Gil passou quase um mês internada para tratar um câncer de intestino. A cantora ainda está fazendo tratamentos e precisa visitar o hospital periodicamente, mas afirma que tudo está como o planejado. 

A filha de Gilberto Gil descobriu a doença em janeiro. Desde então, vem passando por diversas etapas do tratamento, incluindo quimioterapia e uma cirurgia de 14 horas para retirada do tumor. 

Felizmente, ela teve remissão completa do adenocarcinoma, tumor que acomete o intestino. Isso significa que ela está livre de células cancerígenas, mas ainda tem um caminho pela frente até poder ser considerada livre do câncer. 

Agora, a famosa está fazendo o acompanhamento em casa. OFuxico reuniu as principais novidades do tratamento da cantora:

Fonoaudióloga

Assim que saiu do hospital, Preta fez sessões de fonoaudiologia e manteve o bom humor de sempre. “Fono na veia pra recuperar a voz”, escreveu nas redes sociais. No vídeo compartilhado, ela faz um exercício para a voz com a especialista Thays Vaiano, que também cuida de famosas como Ludmilla e Pabllo Vittar.

Visitas semanais ao hospital

Após receber alta, a cantora ainda vai ao Hospital Sírio-Libanês duas vezes por semana para realizar acompanhamento médico. Ela explicou que tem consultas com oncologista, fisioterapeuta e faz exames de sangue. 

“Muitas perguntas sobre a bolsa de ileostomia, sobre o que eu faço aqui no hospital toda semana. Uma das coisas, por exemplo, é ver a minha oncologista. Outra coisa que faço é tirar sangue, essa é uma máquina de ultrassom porque não tenho veia. Quer dizer, tenho, mas é difícil de pegar, e também fico roxinha fácil”, afirmou.

Preta detalhou mais alguns procedimentos: “Toda semana faço fisioterapia pélvica, faço exames de sangue e de toque com o meu cirurgião”, acrescentou.

Exercícios em casa

Um dos requisitos do tratamento de Preta Gil é a fisioterapia pélvica, que ajuda a fortalecer os músculos da região depois da cirurgia. Ela detalhou que, além de importante no processo pós-cirúrgico, o procedimento é benéfico a todos.

“Para a gente fortalecer nosso assoalho pélvico, que inclui o ischium [osso do quadril], inclui a bexiga. Enfim, isso tudo é muito importante, não só para quem está recém operada, como eu, mas para qualquer mulher”, explicou.

Segunda cirurgia

Durante a conversa com a fisioterapeuta Cláudia de Almeida, ela ainda revelou que passará por uma nova cirurgia para reverter o trânsito intestinal.  “No meu caso, que fiz uma retirada de um tumor no reto, quando reverter o trânsito intestinal, muita coisa vai mudar para mim. Então, eu tenho que estar muito fortalecida no assoalho pélvico”. 

“No meu pós-operatório da segunda cirurgia, todo esse trabalho que estamos fazendo será fundamental. Porque vai definir muito como será o meu pós com a questão do escape de fezes, a questão do meu esfíncter, de fortalecer ele para segurar”, contou.

Quimioterapia oral

Nesta sexta-feira, 29 de setembro, a cantora revelou que voltou a fazer quimioterapia oral e seguirá no tratamento por três meses.

“Outra coisa que eu não contei é que eu comecei de novo a fazer quimioterapia oral, tem uns três dias. Me dá um pouquinho de enjoo e por enquanto é só isso de efeito colateral que tá dando e tomara que fique só nisso”, disse.

“Mas eu odeio sentir enjoo, odeio, odeio, então a gente toma um remedinho antes para não sentir e seguir a vida tratando… Tomando o quimioterápico que faz parte do tratamento [por] três meses”, finalizou.

Notícias Relacionadas