Saúde às 18:00

Taemin, do SHINee, muda serviço militar por conta da depressão

Foto de Taemin em imagem de comemoração ao seu aniversário

Reprodução/Instagram/@shinee

Nesta sexta-feira, 14 de janeiro, a SM Entertainment informou que Taemin, do SHINee, terminará o seu serviço militar como funcionário do serviço público, mais precisamente na área de serviço social. Inicialmente, ele fez o seu alistamento para fazer parte da banda militar. A razão da mudança foi a piora do diagnóstico para depressão e ansiedade do cantor.

“Em razão dos sintomas de depressão e ansiedade que Taemin possui antes mesmo de seu alistamento, ele continuará com o tratamento e a terapia enquanto segue o serviço militar. Entretanto, por conta de seus sintomas, o exército determinou que é impossível, para ele, continuar a vida militar e o tratamento ao mesmo tempo”, detalhou a agência.

Veja+: K-pop: Kep1er, formado no “Girls Planet 999”, faz debut com “WA DA DA”

Sendo assim, ele foi transferido para o serviço suplementar. Portanto, Taemin planeja cumprir seu dever militar como funcionário do serviço público.

Ao final, a SM garantiu que manterá os cuidados para com a saúde mental do músico depois de encerrar o alistamento

“Nós pedimos desculpas por dar a vocês, através destas notícias repentinas, algo para se preocuparem. Continuaremos a focar no tratamento futuro do Taemin e faremos o nosso máximo para garantir que ele possa encontrar estabilidade.”

DESFALQUE

Na quinta-feira, 13 de janeiro, a 220 Entertainment, empresa responsável pelo grupo KNK, fez um anúncio revelando a saída de Oh Heejun da banda, além do alistamento militar de Jeong Inseong. Por meio da imprensa sul-coreana, a companhia disse que o contrato com Heejun não foi renovado.

“Oh Heejun, que foi um membro do KNK por seis anos desde 2016, encerrou as atividades com o grupo. Como o período do contrato acabou, foi decidido que não haveria uma renovação e concluímos as obrigações em comum acordo com Heejun”, explicou a nota. “Nós sentimos profunda gratidão a todos os fãs que deram suporte a OH Heejun até o momento.”

Veja+: Yeonjun, do TXT, cria perfil pessoal no Instagram

Ainda no comunicado, a 2020 Entertainment contou que Inseong entrará para o serviço militar a partir de fevereiro. Na Coreia do Sul, por cerca de dois anos, é obrigatório que o homem, até os 30 anos e apto, sirva ao exército do país. A entrada dela acontecerá no dia 8 e “ele continuará as atividades com o grupo depois de ser dispensado do serviço militar.”

“Por favor, continue a apoiar Jeong Inseong, Kim Jihun e Lee Dongwon, membros do KNK”, encerrou a nota.

Lembrando que Park Seoham deixou a banda em setembro do ano passado. “Park Seoham, que tem sido um membro ativo do KNK por cinco anos desde 2016, concluiu as atividades com o grupo. Tivemos longas discussões sobre o futuro de sua carreira e foi decidido que ele concluirá as atividades em grupo de acordo com sua própria intenção. Nosso período de contrato exclusivo com ele também acabou”, detalhou, à época, a 220.

O KNK debutou em 2016 sob administração da YNB Entertainment. Naquele período, seis membros faziam parte de sua formação:  Jihun, YoujinSeoham (que ainda usava o nome Seungjun), Dongwon, Inseong e Heejun. Dois anos depois, em setembro de 2018, foi anunciado que o grupo finalizou seus contratos com a YNB.

Veja+: Atriz de “Snowdrop” morre aos 31 anos

A intenção era de todos permanecerem juntos, mas Youjin anunciou sua saída na mesma época após ser diagnosticado com depressão. Em janeiro de 2019, os cinco membros remanescentes assinaram com a 220 Entertainment.

O último comeback do agora trio foi o mini-album “KNK AIRLINE”. A faixa escolhida para divulgação foi Ride.

PRINCIPAIS NOTÍCIAS:
Empregada de Lexa diz que não teve assistência após agressão seguida de demissão
ALOK revela clima de tensão em lançamento com Juliette
Juliette e Luis Fonsi se pegam em ‘Un Ratito’. Ouça!

Siga OFuxico no Google News e receba alertas das principais notícias sobre famosos, novelas, séries, entretenimento e mais!