Televisão às 07:00

Ex-diretor de Gugu aposta 2022 será o ano em que a Band ocupará o seu lugar no pódio

Fausto Silva e Homero Salles

Foto: TV Globo / Zé Paulo Cardeal e Reprodução Instagram

Homero Salles atendeu a um convite de OFuxico e escreveu este artigo analisando as investidas ousadas da Band que, além de levar a Fórmula 1 para sua programação,  e a surpreendente contratação de Fausto Silva, entre outras novidades anunciadas para o próximo ano.

Profundo conhecedor do universo televisivo Salles aposta que a emissora sediada no bairro do Morumbi, em São Paulo, tem tudo para transformar o cenário da guerra pela audiência que há anos tem Globo, Record e SBT se revezando nos três lugares do pódio. Em seu artigo ele também relembra os áureos tempos da emissora que, na década de 1980, tinha em seu cast grandes nomes como Chacrinha, Flavio Cavalcanti, Hebe Camargo e Jota Silvestre. Confira abaixo a opinião de Homero Salles:

“2022 tem tudo para ser um grande ano para a Band. Retomando a analogia com a Fórmula 1, pode ser o ano da grande virada do Grupo Bandeirantes de Comunicação que agora vislumbra uma possibilidade real de sair do pelotão intermediário e passar a incomodar aquele trio que sempre toma o banho de champanhe.

Mas por que agora? Motivos para essa possível guinada não faltam. A Band foi a única emissora a caminhar na contramão no período mais crítico da  pandemia. Enquanto todas as redes se movimentaram enxugando custos e demitindo profissionais, a emissora acolheu a Fórmula 1 e ousou assinando contratos com ex globais como Zeca Camargo e Fausto Silva, recebidos de braços abertos e com direito a projetos ousados e pioneiros.

Fausto tem competência e uma equipe boa. Se terá fôlego para uma maratona semanal, só o tempo dirá. E se a rotina do ao vivo apertar, existe a possibilidade de gravar dois ou três dias e diminuir a carga de trabalho ao vivo.

Porém uma coisa é certa: seu programa trará uma enorme visibilidade ao horário noturno, fundamental para o canal do Morumbi, que conseguiu finalmente  soltar a ancora que travava o “prime time”.

Vale lembrar que na década de 80, a Bandeirantes foi palco de experiências diárias de grande êxito com Flavio Cavalcanti e o seu “Boa noite Brasil”, além dos shows diários ou semanais, que contavam com nomes fortes como J. Silvestre, Chacrinha e Hebe Camargo entre outras estrelas.

O divisor de águas para o sucesso do entretenimento será, sem dúvida, o que virá logo após o Fausto. Se os estrategistas souberem programar atrações variadas, diversificadas e que atendam a “todas” as faixas de publico.

A estreia de Fausto Silva e demais novidades do canal será o marco de uma nova fase e representará  o momento de se livrar dos programas oriundos da TV a cabo e dos filmes enlatados, formatos completamente obsoletos para uma grade de programação. O streaming já se encarregou de aposentá-los da televisão aberta e o telespectador espera que esses programas da faixa das 23:00 sejam alegres, divertidos e capazes de resgatar uma hoje inexistente “linha de shows”. Com ela, o caminho para o pódio estará livre e acessível.

Nunca essa possibilidade foi tão real. Caso a Band não queira ,ou não possa, produzir esses cinco novos programas por questões de logística, principalmente a falta de estúdios, o mercado atual está repleto de produtoras de conteúdo nacionais que trabalham em um esquema de parceria e podem suprir tranquilamente essa demanda, com qualidade e mão de obra qualificada, a exemplo do que já realizam para outros canais.

A hora do Entretenimento é esta! O jornalismo e o esporte da Band estão afinados, dão audiência e tem publico cativo. Agora é o momento de fazer a lição de casa e se preparar para cruzar a linha de chegada entre os primeiros. 

Fica aqui uma última reflexão: por favor não repitam o erro de Lando Norris, da McLaren, no GP da Rússia Ele tinha uma corrida ganha e por teimosia terminou em sétimo lugar.”

Homero Salles  é um apaixonado por televisão desde sempre. Trabalhou em emissoras pequenas no Paraná e no interior de São Paulo até ser chamado por Silvio Santos para trabalhar em seu programa. De lá pá cá em sua carreira de diretor, produziu e dirigiu vários programas no SBT, Record e recentemente implantou uma série de programas na RedeTV! onde foi Vice Presidente de Conteúdo.  Sua história confunde-se com a do saudoso Gugu Liberato (1959-2019), pela amizade e por formarem uma dupla criativa que durou décadas.

Relembre grandes momentos da Band na década de 1980: