Notícias às 13:25

Angélica e Mahmoud shippam Biil e Carol Peixinho em No Limite: ‘Estão flertando’

Reprodução/Tv Globo/Instagram

E não é que tem shipp até em No Limite? Angélica Ramos e Mahmoud, os dois primeiros eliminados do reality show, revelaram que torcem para que Carol Peixinho e Arcrebiano engatem um romance. Em uma live no Instagram, os dois bateram papo sobre o relacionamento entre os participantes e afirmaram que também sentiram a química dos dois no confinamento.

"Super shippo Carol e Bil. Eles estão flertando. Pelo menos, quando saí, eles estavam flertando", disse Angélica. "Também shippo", completou Mahmoud.

Os dois ainda comentaram sobre os outros participantes do programa. Angélica afirmou que sua torcida é de Kaysar Dadour e não escondeu a sua rivalidade com Gleici Damasceno. O sexólogo, no entanto,  defendeu a amiga: "Acho que a Gleici não combinou voto em você. Ela não queria votar em você. A opção era votar no André [Martinelli]. Ela citou as coisas em comum que vocês têm em comum. Não adianta, mas Gleici e Kaysar são meus amigos. Vou defender até o fim", disse ele.

Mahmoud também falou que participar de No Limite foi inesperado: "Quando aceitei o convite, sabia que o programa não tinha muito a ver comigo, mas pessoalmente ter participado me ajudou muito. Os dias que fiquei longe do celular funcionaram como uma limpeza espiritual", disse ele, contando que pensava que as provas seriam mais tranquilas. "Na primeira, ao ter que subir aquela duna, pensei em desistir. Achava que as provas seriam mais fáceis, mas, em compensação, o acampamento foi menos pior do que eu imaginava”.

No Limite: ‘Eles perderam o volante. Espero que consigam se encontrar’, diz Angélica sobre sua saída

Neste domingo (23), no programa “No Limite – A Eliminação”, André Marques conversou com Angélica, que foi eliminada no programa de terça-feira (18). Ela contou sobre os principais desafios que viveu, seus maiores oponentes, os perrengues pela sobrevivência e a oportunidade de disputar o game.

Veja os principais trechos da conversa, que foi gravada logo após a saída da segunda integrante da tribo Calango.

Falta de preparo físico

“Pra mim foi extremamente difícil, dentro do que eu imaginei, partindo do princípio da primeira prova. Pra mim foi bem punk, porque cai com uma galera crosfiteira, que malha, que treina e meu treinamento é em casa, né? Não treino, sou mãe de 3 filhos. E atualmente eu não moro no Brasil. Vim para participar do No Limite. Moro na Bélgica, uma temperatura extremamente diferente. Nós tínhamos menos 10 graus quando sai de lá. Calor, que tinha um sol para cada um.”

E ela falou sobre as principais provas.

“Começou com a que tinha que subir a duna. Consegui e quando desci senti que estava pesando 10 toneladas. Senti ali que a galera pensou: ‘A Angélica vai ter dificuldade’”, disse lembrando da disputa em que ficou cavando por mais de 4 horas:

“Sou raçuda. Mas existe uma questão, dentro do grupo, que não é você ser crossfiteiro ou não. Pra mim: mãe, sedentária.”

Diferenças nas duas votações

A eliminada revelou que as duas votações que seu grupo participou, as pessoas tiveram a mesma mentalidade.

“O clima é o mesmo. É sempre as mesmas conversas: ‘A galera não se comunica’. Se comunica, sim! Para energia estar boa, todo mundo tem que se comunicar. E aí fica: ‘Não se comunica, mas a energia está boa’. Não casa! Isso parte muito da Gleici, uma menina que conheci, adorei ela. A gente tem alguns valores em comum, inclusive. Sempre essa mesma história: ‘a gente não está conversando’. Mas foi uma coisa muito particular comigo.

Temia ser votada?

“Não achei, mas existia uma questão muito particular no meu portal: a Gleici tem amizade com o Kaysar. E ela deixou muito claro que a questão do jogo pra ela e se tiver votar em uma outra pessoa, pra proteger um amigo, ou pedir para que esse outro amigo venha junto com ela pra se proteger, ela faria. Acredito que o Kaysar acredita muito em mim. Tanto que ele se apoiou em mim desde o primeiro momento. Só que ele não iria votar na Gleici pela amizade que eles tem. Ela foi muito clara comigo. Mas não acho que isso combine com o jogo. É outro reality.”

Medo de sua inteligência

André quis saber se a inteligência dela pode ter sido um dos fatores de medo das pessoas do grupo.

“Com certeza. Não tenho dúvidas. Mas é um pensamento burro, né? ‘Vamos usar essa peça importante até onde a gente precisa chegar. Quando não der mais, fazemos o que tem que ser feito’. De repente pra eles era manter a equipe forte. Ficou alguma coisa de desacreditar da minha capacidade. Isso aconteceu na primeira prova da imunidade, que a gente perdeu. ‘Quando a gente começar a correr você já solta o saco’. Mas ninguém perguntou ‘solta o saco quando você quiser’. Era a estratégia que montaram. Soltei o saco antes do meu limite.

Prova difícil

“Qual a prova mais difícil?”, questionou o apresentador.

“Como a parte de pegar a bandana lá em cima era mais difícil, pra mim foi mais difícil em questão física mesmo. Agora, a do quebra-cabeça, eu já falei: ‘Eu não monto’. Aí perguntamos quem era menos ruim pra montar. O menos ruim pra mim é conseguir montar uma florzinha, mas não montar nada. A prova de hoje, por exemplo, de arremessar.”

“Uma colega falou que era boa de arremesso e não acertou quase nada. Quem foi?”, insistiu André.

“Não é que não acertou quase nada. Ela não acertou nenhuma. Foi a Jéssica. Não acertou nenhuma”, revelou.

Peça chave

Angélica voltou a pontuar sua inteligência e que sua tribo tem muito a perder com sua saída.

“Não é só questão de força. É raciocínio também. Vai faltar alguém para explicar. Dar aquela mastigada e falar: ‘É isso!’. Eles perderam o volante, que era eu. Espero que consigam se encontrar.”

Convivência

“Pra mim foi ótimo. Foi tranquilo. Estava sempre transitando por todos os lados. Sou muito sem filtro e senti as pessoas muito com filtro: ‘Não vou falar isso pra não magoar e a pessoa vai votar em mim’. Então estava muito sem filtro. Falo bastante e gosto de me comunicar. As vezes isso atrapalha um pouquinho.”

Perrengues do acampamento

Ela contou como foi passar esses dias no acampamento da tribo, com quase nada de conforto e regalias.

“Quando chegamos lá, não acreditamos: ‘É aqui?’. Ficamos naquela de trabalhar a resiliência, mas a resiliência chega uma hora que não dá, né amor? Não aguenta. Tinha estudado para fazer o fogo, porém o cadarço não fazia o rolamento do fogo. Até aí, tudo bem. Aí fomos fazer uma comidinha. Cada um ajudava em alguma coisa, mas tem aqueles que ficam mais no cantinho.”

A equipe

André Marques perguntou quem deveria ter sido eliminada em seu lugar

“A Gleici, pela prostração. Ela fica muito prostrada, muito zen. Legal, mas não é isso. A energia tem que ser mais pra cima”, revelou.

“E quem aposta na sua tribo?”, questionou.

“O Kaysar é muito raçudo. Ele parece muito comigo. Mas ele vai ter que manter isso, porque a outra tribo, eu reparei um pouco, eles são muito objetivos. Sangue nos olhos. Eles não estão ali pra brincar. É uma outra história. Não estão na casa de luxo. Estão em outro momento”, disse.

Despedida

“Queria muito agradecer essa oportunidade de me testar, de voltar ao meu país. Depois que saí eu nunca mais voltei. Voltei especialmente pra esse momento. Deixei minha família do outro lado do oceano. Não é uma decisão fácil. Não é qualquer pessoa que toma essa decisão. Meu marido super me apoiou. Quando recebi o convite eu falei: ‘Laurrent, o que eu faço?’. Ele falou: ‘Você vai’. ‘Mas as crianças?’. ‘Eu dou conta’.

Quando vim prá cá eu pensei: ‘Dá pra ganhar? Dá. Não dá pra ganhar? Pode ser que não dê, mas existe muitas coisas que você pode ganhar aqui dentro’. Vou até o meu limite. O programa é esse. Fiz o que tinha que ser feito. Missão cumpridíssima. Só lamento por eles”, contou.

“Você não é uma pessoa que tiraria do jogo”, confessou André.

“Eu também não me tiraria agora”, finalizou ela.

TUDO SOBRE "NO LIMITE 5"

No Limite: Climão? André Marques elogia Angélica e Mahmoud revela ciúmes