Notícias às 13:13

Homem que acusa Kevin Spacey de assédio não quer nome revelado

Reprodução/Instagram

Uma das pessoas que acusam o ator Kevin Spacey de assédio sexual deve abandonar o anonimato se deseja que seu caso progrida. Segundo o site Deadline um juiz ordenou o homem que acusa Spacey a revelar seu nome publicamente ou o caso será arquivado.

De acordo com o advogado do ganhador do Oscar, o requerente, identificado somente com as iniciais de seu verdadeiro nome C.D. não quer que seu nome seja exposto. O detalhe é que nem mesmo Kevin Spacey sabe de quem se trata.

O juiz Lewis A. Kaplan negou à suposta vítima a possibilidade de manter sua identidade privada através do pseudônimo C.D. se Spacey for declarado culpado neste julgamento.

O requerente tem 10 dias para proceder legalmente contra a ex-estrela de House of Cards sob seu verdadeiro nome.

Os advogados do acusador indicaram que ele estava emocionalmente indisposto para proceder com a ação legal, e por isso suspenderá suas reclamações.

O processo começou em Nova York no outono passado, e C.D. assegurou que se tornasse pública sua identidade, isso reativaria o transtorno de estresse pós-traumático que ele teve após a suposta agressão de Spacey, ocorrida nos anos 1980.

Acusações

No ano passado o ator Kevin Spacey falou pela primeira vez publicamente sobre as acusações de assédio e abuso sexual feitas contra ele, durante uma participação no podcast Bits & Pretzels. Com pouco mais de 10 minutos, Spacey agradeceu o convite para a entrevista e os profissionais de saúde trabalhando no combate à pandemia do novo coronavírus, aproveitando o espao para lamentar o seu afastamento da indústria do entretenimento.

“Acho que não é surpresa para ninguém que o meu mundo mudou por completo no final de 2017”, disse, se referindo às acusações de assédio. Após tais polêmicas, ele foi afastado de projetos, perdeu trabalhos e se viu afastado de Hollywood.

“O meu trabalho, vários dos meus relacionamentos, a minha posição na indústria desapareceram em uma questão de apenas algumas horas”, lamentou o artista.

Em seguida, Kevin fez uma comparação com o impacto da Covid-19 com sua situação de isolamento profissional da parte dele.

“Eu não costumo dizer para as pessoas que eu vejo uma relação com a situação delas porque isso pode limitar a experiência que elas estão vivendo, muito única e pessoal. Mas neste momento, eu realmente sinto que posso me relacionar com a experiência de ter a realidade, de repente, travada”, afirmou.

Ele comparou sua situação à de pessoas impossibilitadas de trabalhar durante a pandemia, exemplificando com o questionamento: "Se não posso atuar, quem eu sou?"

“Nos encontramos em uma situação parecida, por razões e circunstâncias diferentes, e acredito que alguns dos nossos desafios emocionais são praticamente os mesmos. Então eu sinto empatia por todos aqueles que não podem retomar seus trabalhos ou perderam seus empregos por conta de uma situação que não temos controle”.

A primeira da acusação contra Spacey partiu do ator Anthony Rapp, em 2017. Ele afirmou ter sido abusado fisicamente por Kevin na década de 1990, quando Rapp tinha 14 anos e o astro norte-americano, 26.

Spacey disse que não se lembrava do ocorrido, mas pediu desculpas públicas ao colega de profissão, por meio da internet.

Tempos depois, outras alegações vieram à tona. Entretanto, uma das investigações contra o artista foi interrompida depois que a suposta vítima morreu. Ainda assim, ele não voltou a conseguir novos trabalhos em Hollywood.