COVID-19 às 19:04

Médico explica que complicação de Luciano Szafir ‘não é algo comum’

Luciano Szafir no aeroporto
Agnews

De acordo com o último boletim médico do ator e apresentador Luciano Szafir, ele foi transferido do hospital Samaritano Barra para o Copa Star e segue na UTI, após uma cirurgia para retirada de um segmento do colón e de um hematoma.

O ator ficou internado por conta da Covid-19 desde o dia 22 de junho e, quando se preparava para ter alta hospitalar, as complicações impediram que isso acontecesse tão logo.

O OFuxico conversou com o cirurgião especialista no sistema digestivo, Dr. Fernando Furlan (CRM 133755), que explicou que o problema de saúde de Luciano Szafir pós-Covid 19, não é algo comum como sequelas da doença.

Veja+: Com o pai em estado grave, Sasha Meneghel antecipa volta ao Brasil

“Lembro mais uma vez que esta situação não é comum na COVID-19 como complicação de doença. No caso dele, foi necessário tirar um pedaço deste intestino grosso para controle do hematoma ou por algum comprometimento desta parte encontrada pelos cirurgiões na hora da cirurgia, o que também não é comum de acontecer, a retirada do dolo por hematoma”, disse.

Apesar de muitas informações dizerem que o quadro do apresentador é grave e inspira cuidados, a evolução costuma ser boa após a cirurgia.

“A maioria das vezes estes hematomas ou sangramento tem tratamento sem a necessidade de cirurgia, a não ser que se tornam grandes ou que não se consiga controlar o sangramento, sendo necessária a cirurgia para este fim. A própria COVID, em casos mais graves, por uma inflamação sistêmica e algumas alterações metabólicas podem levar a alterações de coagulação, tanto para trombose como para sangramento. A maioria das vezes, mesmo após a cirurgia, a evolução é boa”, afirmou o médico.

Uma coisa que pode ter assustado os fãs do apresentador é o fato de, após a cirurgia, ele precisar continuar sedado. Porém, Dr. Fernando Furlan explica que é um procedimento para não sobrecarregar o corpo.

“A cirurgia em si é uma agressão ao organismo, que, mesmo que necessária ou programada, faz o organismo ‘trabalhar’ mais para repará-la. Com isso, os sistemas do corpo se sobrecarregam ainda mais. Pulmões, coração, e outros órgãos são mais exigidos e, mantê-lo sedado e com ventilação mecânica pode diminuir esta necessidade de trabalho do corpo para correções necessárias. Esse processo dura alguns dias até a recuperação total, devemos dar uma ajuda para o corpo suportar este ‘trabalho extra’ e é isso que estão oferecendo para ele neste momento, explicando de forma mais simples”, finalizou.