Notícias às 08:19

Namorada de Ana Marcela exagera na torcida e vizinhos chamam a polícia

Foto: Reprodução/ Instagram

O ouro de Ana Marcela Cunha na maratona aquática nos Jogos Olímpicos de Tóquio encheram os torcedores brasileiros de orgulho, mas acabou dando trabalho para algumas pessoas… A namorada da maratonista, Maria Clara Fontoura, por pouco não vai presa!

Animadíssima com a vitória de Ana Marcela, Maria Clara perdeu a linha na comemoração e exagerou nos gritos. Ela, que mora em um apartamento, acabou surpreendida pela chegada da Polícia Militar. Por conta da gritaria na reta final da prova, os vizinhos acabaram acionando a PM.

Maria Clara fez várias postagens nas redes sociais comemorando a conquista da amada, antes da chegada inusitada.

 “Amor, você é campeã olímpica. Você é f.”, disse.

Passado o susto, a namorada da medalhista de ouro se explicou.

No sprint final, a gente começou a gritar enlouquecidamente. E, logo depois, a campainha começou a tocar loucamente. Eram cinco moradores, a síndica e a polícia perguntando o que estava acontecendo. Falei com eles: ‘Minha namorada é campeã olímpica! Campeã olímpica! Foi mal’, e recebi como resposta: pode comemorar, mas baixo, por favor”, relatou.

Aos 29 anos, Ana Marcela soma inúmeras conquistas na carreira como cinco ouros em campeonatos mundiais, primeiro lugar no Pan-Americano de Lima, e quatro ouros em Jogos Sul-Americanos. A maratonista e Maria Clara, que trabalha com marketing esportivo, estão juntas desde o ano passado.

Antes, a atleta brasileira chegou a ficar noiva da jogadora de polo aquático Diana Abla e as duas planejavam se casar após os jogos olímpicos. O relacionamento, no entanto, terminou durante a preparação da nadadora para Tóquio.

SUPERAÇÃO TOTAL

A nadadora Ana Marcela Cunha foi a primeira colocada na prova da maratona aquática dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e conquistou a medalha de ouro, na noite de terça-feira, 03 de agosto, no horário de Brasília.

A baiana de 29 anos e 4 olimpíadas na bagagem nadou os 10 km no tempo de 1h59min30s08 e, com isso trouxe a quarta medalha dourada para o nosso país, sendo 3 delas vencidas por mulheres: Rebeca Gusmão, na ginástica e Martine e Kahane na Vela.

“Finalmente! Por mais nova que eu fui em 2008, que foi minha primeira olimpíada, esse é meu quarto ciclo olímpico. Vindo de uma frustração muito grande com uma não classificação, uma frustração no Rio. Acreditem nos seus sonhos. Quero agradecer ao meu clube, meus pais, minha namorada…”, disse.

Sonhava muito com uma medalha olímpica, mas representa muito ser campeã. Todos os brasileiros medalhistas me incentivaram muito, principalmente o Scheffer e o Bruno, por serem da natação. É uma raia, uma chance, como eles dizem”, disse ela assim que deixou as águas japonesas. Ela lembrou a conversa que teve com seu treinador antes do começar a prova.

“Falei com o Fernando, que para ganhar de mim iam ter que nadar muito. Eu sabia o quanto eu estava preparada, melhor do que Kazan, que foi um Mundial em que deitei e rolei. Fiz a minha prova e aprendi a ser feliz. Fui feliz fazendo o que eu amo e foi tudo bem”.

Veja +: Carisma e talento de Alison dos Santos conquistam os brasileiros