Notícias às 11:00

Todo mundo tá feliz? ‘Xou da Xuxa’ completa 35 anos

Xuxa em frente à sua nave do Xou da Xuxa

Xuxa em frente à sua nave do Xou da Xuxa (Foto: Dvulgação)

Em 30 de junho de 1986, entrava no ar pela primeira vez o “Xou da Xuxa”, programa que liderou a audiência nas manhãs da Globo até deixar a grade de programação da emissora em 1992. Sob comando de Xuxa Meneghel, a atração deu à loira o título “ad eternum” de Rainha dos Baixinhos e a consagrou como soberana das manhãs, após a Globo ter sucessivas derrotas contra “A Turma do Bozo”, que era exibido no horário, no SBT.

Com direção-geral de Marlene Matos, o “Xou da Xuxa” era exibido de segunda a sábado e chegou a ter cinco horas por conta do ótimo índice de audiência. Houve ocasiões em que o programa superou o share de novelas exibidas no horário nobre da Globo.

Paquitas, plateia, muitas, mas muitas gafes capazes de colocar Ana Maria Braga no chinelo (se você nunca viu o icônico “senta lá, Cláudia!”, faça isso já!), números musicais de diversos gêneros, brincadeira, a nave…

Veja+: Xuxa escreve texto emocionante sobre Faustão

Banho de descarrego

Em suas redes sociais, Xuxa Meneghel tem relembrado sua trajetória e tem participado de lives saudosas nas quais as lembranças do extinto programa infantil ganham destaque. Na segunda-feira, dia 28 de junho, por exemplo, ela recordou os figurinos da atração em uma conversa bem-humorada com a estilista Michelly X e falou do vestido preto de pavão que usou na última edição do programa, em 1992.

”Aquele vestido era para usar em uma apresentação com o Roberto Carlos, um show de final de ano. Eu fui ensaiar com o Roberto e tudo. Todo mundo sabe que eu canto playblack e ele não, ele canta ao vivo. E, no ensaio, eu estava com aquele vestido”, contou a loira.

Veja+: Confira detalhes do cruzeiro da Xuxa

A apresentadora citou o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) que o Rei carrega há anos. Vale ressaltar que Roberto Carlos já diminuiu bastante as “manias” que tem em virtude do problema.

“Naquela época, ele não podia abraçar nem estar perto de alguém que usava preto e roxo. E eu estava de preto e tinha aquele pavão roxo. Aí eu cheguei e o abracei daquele jeito. Ele ficou travado e, depois, foi tomar banho, fazer o ritual dele para se limpar daquela energia que ele achou que tinha na minha roupa preta com o pavão”, recordou.

“Depois disso, as pessoas lá na Globo vieram me perguntar se eu tinha outro figurino. Eu achei que fosse por causa da câmera, mas explicaram: ‘Não, é que Roberto disso que não gosta dessa cor’. Então eu disse: ‘Ah, não’ e peguei, entrei no meu carro e fui embora. Não troquei de roupa e, na TV, estavam anunciando que eu apareceria. Foi um bafafá”, relembrou a artista.

Veja+: João Figueiredo fala da sogra Xuxa meneghel

La Reina de los Bajitos

Com o sucesso do “Xou da Xuxa” por aqui, logo a atração ganhou versão gringa. Entre maio de 1991 e dezembro de 1993, “El Show de Xuxa” dominou a Argentina. Na terra de Maradona, a loira passou a ser, absoluta, “La Reina de los Bajitos”.

Mas não foi só por lá. O programa ganhou espaço em mais de 26 países. Até mesmo uma versão americana gravada nos estúdios da CBS Television.

Veja+: Xuxa Meneghel cai no choro ao ser vacinada contra covid-19

Enquanto isso, por aqui, o SBT e a extinta Manchete faziam de tudo para reverter os péssimos índices no horário e colocavam no ar atrações semelhantes. Assim, Mara Maravilha despontou na emissora de Silvio Santos, enquanto Angélica se consagrava na Manchete. Mas a nave rosa de Xuxa Meneghel era imbatível e decolava a cada dia, deixando os baixinhos e altinhos cada vez mais felizes.